“Leite derramado” é o livro mais premiado de 2010

[Atualização em 9 de novembro]


Chico Buarque ao lado de Pilar Del Río (Foto por Leandro Soares/Agência Estado)

Menos de uma semana após ter ganho o Jabuti, Chico Buarque também foi premiado pelo Portugal Telecom de Literatura. Leite derramado conquistou o primeiro lugar da competição; Outra vida, de Rodrigo Lacerda, e Lar, de Armando Freitas Filho, foram o segundo e o terceiro colocados, respectivamente. Veja aqui quais eram os dez finalistas.

* * * * *

[Notícia original, de 5 de novembro:]


Chico Buarque entre o curador do Prêmio Jabuti, José Luiz Goldfarb, e sua editora, Maria Emilia Bender. (Foto por Patrícia Araújo/UOL)

Quinta-feira, dia 4 de novembro, na cerimônia do Prêmio Jabuti, Chico Buarque recebeu os prêmios de Melhor Livro do Ano segundo voto popular e jurados, por seu romance mais recente, Leite derramado. Muito obrigado a todos que votaram pela internet!

Veja abaixo um vídeo onde Chico lê o primeiro capítulo do livro. A lista com todos os títulos da editora que foram agraciados pelo 52º Prêmio Jabuti está aqui.

13 Comentários

  1. Leite Derramado merece todos os prêmios que conseguiu. Estamos diante de um fato histórico. Este livro é um marco em nossa literatura. Acreditem! Quem ainda não leu, leia. trata-se de uma estrutura revolucionária que pode fazer com que os novos autores repensem suas perspectivas narrativas e temporais.
    Não gosto da pessoa Chico Buarque, mas reconheço que em Leite Derramado ele superou nossa atual geração de escritores.

  2. Rogério disse:

    Não entendi. Qual é o prêmio político?
    O Jabuti ou o Portugal Telecon?
    Acho que seria interessante alguém, que conhece, falar sobre os bastidores destes prêmios.
    Ps. O prêmio Portugal Telecon é de cem mil. Um prêmio deste agrada tanto a esquerda quanto a direita.

  3. Erly disse:

    Livro excelente, literatura de qualidade que não é vista em muitos escritores atualmente. Não é só entretenimento, como dizem alguns, mas uma arte literária feita com esmero, que é a maior virtude do autor

  4. admin disse:

    Rafael, disparidades como a que ocorreu este ano (e que já havia acontecido em anos anteriores) acontecem porque o júri que escolhe o “melhor do ano” é diferente daquele que escolhe os 3 melhores colocados de cada categoria.

  5. […] O romance Leite derramado, de Chico Buarque, foi premiado pelo Jabuti como o melhor livro do ano, informa o blog da Companhia das Letras. […]

  6. Rafael Pereira Telles disse:

    Prêmio político. Premiação recheada de ideologia. Como um livro que fica em segundo lugar numa subcategoria ganha o primeiro na premiação geral???

    O livro é bom, mas a premiação representa o que de mais retrógrado existe na cultura. A interferência que transcende e ignora a qualidade do produto.

  7. admin disse:

    Claudio, o livro do Edney Silvestre realmente ganhou o 1º lugar da categoria romance, e o autor estava na premiação ontem para pegar seu Jabuti.
    O prêmio a que nos referimos é outro, o de “Melhor livro do ano – categoria ficção”, que só foi anunciado ontem.

  8. Claudio Adas disse:

    O que aconteceu com o livro do Edney Silvestre, que em outubro passado aparecia em 1º lugar na categoria romance do Jabuti? Passaram para trás? Tudo para conceder este prêmio de cunho político ao queridinho das esquerdas? Coisa feia …

  9. […] This post was mentioned on Twitter by Karina Favaro, Companhia das Letras. Companhia das Letras said: Veja vídeo de Chico Buarque lendo o 1ºcap.de "Leite derramado",ganhador do #Jabuti de Melhor Livro do Ano http://bit.ly/cU8MjV […]

  10. Claison Melo disse:

    Tal livro de Chico, Leite Derramado, é uma narrativa apreciável, o narrador personagem, com seus problemas de saúde, dá ao enredo um possível mudança sequencial emergente, porque surge o passado enleado ao presente e, a curiosidade do leitor (que não é incitada) o mantém a continuar a lê-lo.
    Necessariamente, não sei dizer ao certo o motivo deste livro, ou porque ele é desmotivado ou porque eu queria nele uma literatura imperante, marcante, ou que continuasse a alimentar em mim o mesmo Chico Buarque que encontro em algumas letras musicais.
    Trata-se apenas de um livro, romântico, perdido de massificação lírica; às vezes poético, às vezes supérfluo, mas, em sua maioria, apenas leitura básica, simplista, e, como defendida por muitos, uma literatura de entretenimento, como o próprio Chico apresenta na maioria de seus livros, assim como o faz o Jô Soares.

Deixe seu comentário...





*