Links da semana

Diversos ilustradores e quadrinistas foram à Palavraria quarta-feira passada para prestigiar o lançamento de Ordinário, de Rafael Sica. Na foto acima você vê Rafael Corrêa, Rafael Albuquerque, Eduardo Medeiros, Rodrigo Rosa, Rafael Sica, Ruben Castillo, Eduardo Simch, Mateus Santolouco e Azeitona. Veja no nosso álbum mais fotos dos lançamentos de Porto Alegre e São Paulo.

Falando em Ordinário, a Raquel Cozer escreveu sobre o livro para o Caderno 2. O Floreal, do Impulso HQ, comentou Ao coração da tempestade, de Will Eisner.

O diretor Baz Luhrmann está preparando uma nova adaptação cinematográfica de O grande Gatsby, e Leonardo DiCaprio está cotado para interpretar Jay Gatsby.

O Daniel, do Saraiva Conteúdo, falou sobre A vida imortal de Henrietta Lacks, livro que a Companhia lança em março.

projeto de lei que veta censura a biógrafos voltou ao Congresso, após ter sido arquivado no final de janeiro.

Uma matéria do Espaço Aberto mostra que nunca é tarde para começar na literatura.

No Meia Palavra,  a Anica resenhou Papéis avulsos, de Machado de Assis, e o Felippe falou sobre Coração tão branco, de Javier Marías.

Em entrevista à revista Guernica, a escritora e ativista Arundhati Roy falou sobre as ameaças que recebe na Índia, e sobre as piores perguntas que já lhe fizeram.

A Gazeta do Povo perguntou a pesquisadores o que define um clássico, e a Tássia Kastner, do Mundo Livro, falou sobre cinco coisas que ela odeia em textos de quarta capa.

Allan Sieber resenhou Memória de elefante, de Caeto, para o Ambrosia. O Yuri, do blog Livrada!, comentou Vício inerente, de Thomas Pynchon.

Jorge Pontual foi à sede da New Yorker e entrevistou David Remnick sobre A ponte, biografia de Barack Obama.

O Alessandro, do blog Livros e Afins, quer saber qual é seu personagem literário favorito, e o site Publishing Perspectives quer saber se você já comprou um livro por causa do twitter.

O Arthur, do blog O leitor comum, resenhou O gato diz adeus, de Michel Laub, e agora está sorteando o exemplar.

Paulo Ramos noticiou que a Companhia das Letras vai reeditar as histórias do detetive Diomedes, do escritor e quadrinista Lourenço Mutarelli.

David Sharrock percorreu o trajeto feito por George Orwell em O caminho para Wigan Pier, 75 anos após o relato original.

A Juliana, do blog O Espanador, leu O filho da mãe, de Bernardo Carvalho, e agora está torcendo por ele na Copa de Literatura Brasileira.

O documentário brasileiro Will Eisner, profissão cartunistaserá lançado em dvd amanhã no Rio de Janeiro.

A adaptação de Natimorto, de Lourenço Mutarelli, chega aos cinemas em abril.

A Nathalia, do Artilharia Cultural, resenhou Persépolis, de Marjane Satrapi.  O Ítalo, do blog Um Sentir Complementa o Outro, falou sobre Sinuca embaixo d’água, de Carol Bensimon.

biblioteca particular de Fernando Pessoa foi digitalizada — além de saber quais eram os 1142 livros que o poeta possuía, você pode ver suas anotações e dedicatórias.

Uma pesquisa canadense mostrou que aprender um segundo idioma ajuda a retardar o avanço do Alzheimer.

O Fábio, da Blooks Livraria, falou sobre Reparação, de Ian McEwan. A Milu, do blog Rússia Show, comentou Verão em Baden-Baden, de Leonid Tsípkin.

O Universo HQ chegou à marca de 5 mil resenhas em seu banco da dados. A atualização histórica incluiu textos sobre Ordinário, de Rafael Sica, e Wilson, de Daniel Clowes — que a Companhia lança em 2012.

O filme da série Scott Pilgrim contra o mundo estará disponível para locação a partir desta semana, em dvd e blu-ray.

Uma animação feita a partir de ilustrações de Chris Ware conta a história de um grupo de alunos que mudou seu comportamento após entrar em contato com câmeras — apesar de elas não serem sequer reais.

5 Comentários

  1. Milu Duarte disse:

    A Cia.das Letras está precisando publicar mais autores russos, ainda desconhecidos por aqui. É o caso de Ilya Ilf e Evgueni Petrov, com seus imperdível “As doze cadeiras” ou “O bezerro dourado”. Existem outras maravilhas, como “O Don Silencioso”, que também mereceriam uma edição primorosa de vocês.Outro exemplo é Oblomov, que no Brasil teve uma publicação duvidosa, direta do francês, que deixou muito a desejar. Adoro as edições da Cia.das Letras e espero, em breve, ter novidades nesta área.

  2. Olá, admiramos a ótima relação que a editora Companhia das Letras mantém com os leitores, de modo geral. O blog é sempre muito interessante e os posts com links eficazes, à medida que divulga informação útil e resenhas pertinentes sobre as mais diversas publicações. Caso possam divulgar a nossa revista literária (100% independente), ficaríamos muito felizes! Obrigado desde já.

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Tássia Kastner, Juliana Leuenroth and O Espanador, Companhia das Letras. Companhia das Letras said: Links da semana: uma animação de Chris Ware, a biblioteca particular de Fernando Pessoa e o que define um clássico http://bit.ly/eby0Ea […]

  4. Adriana de Godoy disse:

    Na biblioteca digitalizada de Fernando Pessoa, é arrepiante ver o que o poeta sublinhou nos livros. Como leitor, ele já pensava a heteronímia.

  5. Arthur disse:

    Bah, peguei emprestado uns 5 competidores da Copa, mas não tive saco de passar do primeiro parágrafo de nenhum.

    Ainda torço pelo Bernardo Carvalho, Joca Terron como vice. Vamos ver agora que me emprestaram o da Bensimon se eu mudo de opinião…

Deixe seu comentário...





*