Links da semana

O escritor Geoff Dyer está no Brasil para o lançamento da revista Serrote #7, e passou hoje aqui pela Companhia para conhecer a editora. A Serrote, aliás, está promovendo um concurso de ensaio. Os interessados devem enviar seus textos até o dia 30 de julho.

O The New York Review of Books publicou um ensaio de Roberto Bolaño em que ele conta que roubava livros quando era jovem.

O Instituto Aletria conversou com nossa editora e colunista Júlia Moritz Schwarcz sobre a literatura infantil.

Na coluna Painel das Letras, de Josélia Aguiar, foi a vez de Michel Laub responder quais foram os 10 livros mais importantes em sua formação como escritor.

No Meia Palavra, a Taize resenhou Honra teu pai, de Gay Talese, o Luciano analisou Scott Pilgrim contra o mundo, de Bryan Lee O’Malley, e a Liv leu A ninfa inconstante, de Guillermo Cabrera Infante. O Carlos falou sobre Não me abandone jamais, de Kazuo Ishiguro, o Palazo comentou A morte do Gourmet, de Muriel Barbery, e o Felippe fez duas críticas: uma sobre Diário da queda, de Michel Laub, e outra sobre o filme baseado em Natimorto, de Lourenço Mutarelli.

Na semana que vem nós lançaremos Jakob von Gunten, de Robert Walser. Você pode ler um ensaio do filósofo Giorgio Agamben sobre o autor no site da SalonKritik.

A Flavorwire elaborou 10 combinações entre livros e comidas. Eles sugerem que você coma espaguete com almôndegas, por exemplo, enquanto lê Infinite Jest, de David Foster Wallace.

O Francisco comentou em seu blog o livro Mensagem de uma mãe chinesa desconhecida, de Xinran. O Arthur, do blog O leitor comum, leu Do fundo do poço se vê a lua, de Joca Reiners Terron.

Sérgio Rodrigues comentou a decisão do juiz americano que recusou o acordo proposto pelo Google para a digitalização de livros. Ele também resenhou no Todoprosa o romance Diário da queda, de Michel Laub.

O site InfoEscola resenhou A vida imortal de Henrietta Lacks, de Rebecca Skloot. O Luiz Gustavo, do blog Eu <3 livros, falou sobre Mãos de cavalo, de Daniel Galera.

O El País publicou um artigo de Alberto Manguel sobre a literatura espanhola. O Mário Marcos falou em seu blog sobre o tanto que aprendeu sobre jornalismo lendo os livros de Gay Talese.

Petê Rissatti escreveu sobre o preconceito e o desconhecimento quanto à profissão de tradutor. O Rafael, do blog Casmurros, fez um post sobre a crise das resenhas.

O Charlles resenhou em seu blog Mecanismos internos, de J.M. Coetzee. O Yuri, do blog Livrada!, comentou Vida, jogo e morte de Lul Mazrek, de Ismail Kadaré.

O jornalista Mark Medley confessa: é um book hoarder, ou seja, acumula livros demais, e é incapaz de se desfazer de qualquer um deles.