25 anos em busca de qualidade

Por Elisa Braga

Muitas vezes vejo pessoas admiradas com a grande quantidade de profissionais envolvidos no processo de produção de um livro. Realmente é muita gente, são funcionários, colaboradores, parceiros, que precisam fazer bem a sua parte para o processo seguir adiante.

Em sua coluna desta semana na Folha de S.Paulo, Janio de Freitas cumprimenta a Companhia das Letras pelos seus 25 anos e diz “Os 25 anos da Companhia das Letras são mesmo para comemorar. Com sua chegada, o livro ganhou no Brasil um novo status, na elaboração carinhosa, no tratamento respeitoso ao texto, na elegância da identidade editorial. […] O significado da Companhia das Letras chegou até mesmo à indústria gráfica brasileira, obsoleta e extenuada, e de repente forçada a repor-se à altura das edições pretendidas”. Sempre ouvimos o Nelson Vido, sócio-diretor da Geográfica, nos agradecer por isso.

Ontem, quase às dez da noite, recebi uma mensagem do Fabio, nosso supervisor de produção de capas, dizendo que a Geográfica recebeu o Prêmio Fernando Pini da Indústria Gráfica, na categoria Livros de Texto, pela impressão dos doze volumes da “Coleção Prêmio Nobel ― 25 anos da Companhia das Letras“. Na produção desta coleção, trabalharam juntos, cuidando de cada detalhe, a minha superequipe (incluindo o Teco), a dupla de artistas gráficos Claudia Warrak e Raul Loureiro (adoramos trabalhar com vocês), e os sempre atenciosos funcionários da Geográfica. Parabéns e obrigada a todos.

Para nós do departamento de produção, este prêmio é um símbolo do reconhecimento da qualidade que sempre buscamos, com a participação essencial de todos os nossos parceiros, as gráficas (Bartira, Donnelley e Prol, além da Geográfica), a indústria de papel, os artistas gráficos, os ilustradores, os diagramadores e os revisores.

Nos próximos 25 anos, vamos continuar querendo mais.

* * * * *

Elisa Braga é diretora de produção e trabalha na Companhia das Letras desde 1987.

3 Comentários

  1. Curti muito ! Comprei todos e já estou degustá-los. :D

  2. lecticia kasperavicius disse:

    Saudades desse primor, desse carinho e de todo esse sentimento positivo que envolve a produção de livros. Para mim livros são quase como pessoas, há uma interação mística entre eu e eles a ponto de eu sentir (imaginar) que o livro fala comigo, pretende meus desejos, conjunturas, filosofias, intenções ou divagações. Me deixam saudade, às vezes mal consigo me despedir. Certamente me propuseram tantos melhores universos do que o meu próprio, e por tantas vezes… Confesso: fiquei dependente deles. Hoje, como artista gráfica, ainda tenho grandes pretensões. Talvez por desejar universos estéticos melhores, belos ou apenas por fraterna gratidão.

  3. Lilian disse:

    Parabéns a todos da Cia das Letras. Aprecio a Cia pela qualidade dos livros e pela produção dos livros em si. Pode parecer frescura, mas a sensação é outra ao pegar um livro que tem todo o cuidado da Cia das Letras. Continuem com os lançamentos dos ótimos livros.

Deixe seu comentário...





*