Entrevista com Daniel Handler

No mês passado lançamos Por isso a gente acabou, a história de uma menina que está sofrendo com o fim de um relacionamento e resolve devolver ao ex-namorado todos os objetos que lembram momentos que viveram juntos.

O livro foi escrito por Daniel Handler (mais conhecido como Lemony Snicket) e ilustrado por Maira Kalman. Como vários blogueiros têm lido e resenhado o livro, resolvemos chamar alguns deles para entrevistar o autor. Veja as respostas:

Bárbara: Por que você resolveu fazer referência a filmes e músicas que não existem? Que mancada com todos nós que passamos horas online, pesquisando nomes que você inventou, só pra descobrir que era tudo mentira!
Daniel Handler: Admita: você passa horas na internet de qualquer forma, então não foi nada diferente do seu dia-a-dia. Eu acho que quando você faz referência a algo real, você fica refém das opiniões das pessoas. Se eu disser Bonequinha de luxo, você pode achar que é um filme romântico, ou glamuroso, ou um filme superestimado com caricaturas racistas. Mas se eu disser Greta em fuga, todos nós vamos concordar que é um filme mágico.

Lariane: Houve alguma preparação/pesquisa especial para ter escrito Por isso a gente acabou sob a óptica de uma guria? Pergunto porque todas que leem o livro se identificam com a Min, sentem uma grande conexão e se projetam na protagonista.
Daniel Handler: Quando eu era novo, assim como agora, quase todos os meus amigos eram garotas. Eu escutava elas.

Mariana: Notamos ao longo da história que, por meio da protagonista, você fala com muita propriedade do espírito adolescente — principalmente dos “das artes”, como é o caso da Min e seus amigos. Quando jovem você era um desses? Quais pontos da história foram inspirados na sua juventude?
Daniel Handler: Eu sempre quis ser escritor, então com certeza as pessoas achavam que eu era “das artes”. E eu levei muitos e muitos pés na bunda, o que definitivamente me inspirou, naquela época e agora, a escrever longas cartas.

Nathalia: Qual é seu objeto favorito na caixa da Min? (essa é uma pergunta metafórica para sabermos qual é sua parte favorita da história)
Daniel Handler: Eu gosto muito da moeda de Zembla. Apresentar namoradas pros meus amigos sempre foi um problema difícil.

Anica: Alguma chance de sair um livro com o ponto de vista do Ed?
Daniel Handler: Ed não é uma pessoa muito expressiva, então não acho que o ponto de vista dele seria longo o suficiente para render um livro. Talvez um post-it.

Dayse: Por que você não usa twitter? Sua esposa usa, e ela humilha.
Daniel Handler: Minha esposa me avisa das coisas interessantes que acontecem no twitter, enquanto eu me mantenho a uma distância segura. Por exemplo, ela me disse várias coisas encantadoras sobre você, Dayse.