Notas do subterrâneo

Por Tony Bellotto

1- A saída da Marta Garcia desta Casa me deixa órfão. A mim e aos meus livros, já que ela editou toda a minha vasta obra literária, os meus seis romances publicados, mais o que está por ser publicado no início do ano que vem, Machu-Picchu. O único livro que escrevi e a Marta não editou foi O livro do guitarrista, editado pela Maria Emília Bender, que também está saindo da editora, o que faz de mim um escritor duplamente órfão. Foram 18 anos de colaboração. Ao contrário de vários escritores, sempre prezei a função do editor, no meu entender uma contribuição fundamental e imprescindível ao trabalho literário. E a Marta soube me dar trabalho. E como. Registro aqui minha gratidão às duas editoras, e desejo-lhes a melhor sorte do mundo em suas novas empreitadas. Talento e experiência as duas têm de sobra.

Aproveito para dar um alô para o André Conti, meu novo editor na casa. Já tive o prazer de trabalhar – na verdade um trabalho em andamento – com o André no projeto de Bellini e o Corvo, uma ideia dele para uma graphic novel com meu personagem Remo Bellini, o detetive ítalo-existencialista.

Prepare-se, André, para corrigir minhas crases aleatórias e levantar meu moral com frases como “eles falam isso só porque você é um guitarrista bem sucedido e casado com uma atriz gata” quando algum crítico desancar um dos meus livros. Ah, e prepare-se também pra consumirmos quantidades bukowskianas de vinho tinto nos almoços de trabalho bancados pelo Luiz…

2- Recebo um e-mail dos professores Pedro Diniz e Lucinéia Teles, do Colégio Sant’Ana, de Itaúna, Minas Gerais. Eles me dizem que a escola em que lecionam, a seu pedido, adotou um livro meu para turmas do último ano do ensino fundamental. A recepção de Os insones foi muito boa, gerou debates interessantes e produtivos entre os alunos. Alguns pais, porém, se indignaram com a linguagem do livro e questionaram a direção do Colégio quanto a sua classificação etária. A leitura foi suspensa, mas ainda assim alguns pais insistiram em sua sanha moralizante e denunciaram o caso ao Ministério Público, que abriu investigação sobre o Colégio Sant’Ana, acusado pelos denunciantes de recomendar aos alunos a leitura de um livro que conteria “material pornográfico” e “incitação à pedofilia”.

Sem comentários.

Conquanto a situação tenha me proporcionado alguma glória secreta – com devaneantes autocomparações com Henry Miller, Nabokov e Salman Rushdie –, é inaceitável que educadores sejam punidos por terem tido a melhor das intenções em sua função de educar. Os insones é um trabalho sério de literatura e a acusação, além de injusta, é ridícula.

* * * * *

Tony Bellotto, além de escritor, é compositor e guitarrista da banda de rock Titãs. Seu livro mais recente, No buraco, foi lançado pela Companhia das Letras em setembro de 2010.

127 Comentários

  1. AFM disse:

    Acho que eu nunca ri tanto com essa tal de Gilmara e sua síndrome do pânico/mania de perseguição com comunistas/marxistas. Vocês são a retaguarda da sociedade, entranhados e presos num pensamento retrógrado, cristão, defensor da ‘moralidade e dos bons costumes’. Tenho a impressão de que alguns aqui festejariam a implantação de um novo AI-5. Deixo de lado a discussão do livro pra atentar contra o objetivo vazio e supérfluo da luta de vocês. Aposto que são contra o homossexualismo, o livre pensamento/expressão, e de tudo que possa tirar seus filhinhos, os “monstrinhos” criados por vocês, de dentro da bolha em que vocês os tentam manter. Espero que seus filhos tenham a consciência que vocês não tiveram e se libertem dessa tradição que há tanto tempo nos envenena.
    Sugestão de leitura: A Crônica da Casa Assassinada, de Lúcio Cardoso.
    Abraços.

  2. Armando disse:

    ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
    Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
    Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
    Art. 78. As revistas e publicações contendo material impróprio ou inadequado a crianças e adolescentes deverão ser comercializadas em embalagem lacrada, com a advertência de seu conteúdo.
    Parágrafo único. As editoras cuidarão para que as capas que contenham mensagens pornográficas ou obscenas sejam protegidas com embalagem opaca.
    Art. 79. As revistas e publicações destinadas ao público infanto-juvenil não poderão conter ilustrações, fotografias, legendas, crônicas ou anúncios de bebidas alcoólicas, tabaco, armas e munições, e deverão respeitar os valores éticos e sociais da pessoa e da família.
    Art. 81. É proibida a venda à criança ou ao adolescente de:
    V – revistas e publicações a que alude o art. 78;

  3. Armando disse:

    Heitor, vc apareceu aqui de gaiato como quem nunca tivesse entrado no blog e ao mesmo tempo por dentro de tudo o que está se passando aqui.
    Usando um pseudònimo, mas tá na cara que é um funcionário do colégio: sua conversa te entrega.
    Além de tudo é um preconceituoso: VC acha mesmo que só catolicos tem capacidade crítica e saberiam avaliar o INSONES como indevido? Vc acha que só católicos tem argumentos? Sabia que há pastores tão ou mais sábios que padres?
    Nós pais continuamos achando que o livro não é indicado para nono ano(como concordou o MP) nem para primeiro, nem para segundo e nem para terceiro. Espero que isso já esteja claro: NEM PARA AGORA E NEM PARA DAQUI A 3 MESES, NEM PARA DAQUI A 2 ANOS E 3 MESES…
    Não concordo nem com a Sofia, nem com a Eliana e nem com a Sônis. Acho que ainda tem muita sujeira debaixo desse tapete para ir ao AR.
    Outra coisa: destilar veneno é indicar literatura indecente para adolescente e ficar dando um de culto e moderno.

  4. Lohanna França disse:

    Armando, meu caro… Estou longe de precisar usar um nome falso para poder me elogiar e me defender, faço isso de forma suficientemente boa, usando meu nome real.
    Quanto a Hérica Nolasco, fiquei muito feliz com o comentário dela. Ah, e a palavra colega não se refere apenas a colega de sala, viu? E, o que há de errado com ela ter escrito “nós pais”? Te surpreende saber que existem pais que não estão achando o livro nada absurdo? Ah, nossa, que assustador, existem pessoas tolerantes e críticas no mundo! Corram para as colinas!
    Ah, realmente não pretendo ficar mais comentando aqui. Debate só vale a pena quando existem pessoas dispostas a compartilhar opiniões… e não a impor opiniões!
    Um abraço aos demais!

  5. Eliane S M Franco disse:

    Caro Heitor,
    apenas SUGERI que concluíssemos o debate pois acho realmente que todos os argumentos sobre a temática aqui proposta já foram ditos e as pessoas estão repetindo suas falas. Qdo temos em sala de aula um debate quente e as argumentações começam a se repetir, é hora de encerrar. Além do mais o MP já deu seu parecer e acho absolutamente desnecessário esse tipo de EMBATE que está acontecendo aqui. Isso, além de não acrescentar nada, ofende e fere a alma… Prá vc ter uma idéia já estão até jogando pedras nos católicos e nos ministros da eucaristia… O que isso agregará? O que vai ser edificado com isso? Há um tempo para cada coisa… tempo de falar… e tempo de calar.

  6. Heitor Freitas disse:

    Acho que você,Tony Belloto, já percebeu que sua obra Os Insones foi usada como pretexto para atacar professores e dirigentes de uma escola. Já foi lido e examinado por órgãos competentes quanto ao conteúdo. Parece-me um discurso de católicos fervorosos que gostariam que a escola ensinasse religião…. Por que não colocam seus filhos em um convento ou seminário? Até um padre que é sábio, sabe respeitar as diversidades porque Deus é um só. Algumas pessoas vivem por aí colocando hóstias na boca dos outros e destilando veneno quando saem da igreja… Pensem nisso! Vocês pararam de falar da pornografia que diziam que o livro continha porque? E a incitação a pedofilia? Não mudem o foco, pois o autor do livro não tem nada a ver com problemas pessoais que vocês têm contra funcionários e dirigentes de uma escola. Até a Eliane, que até agora vinha participando sabiamente,desistiu. Ela deve ter ficado com vergonha dos ataques daqueles que dizem estar do lado dela e queriam defender uma ideia, mas não sabem fazê-lo.

  7. Eliane S M Franco disse:

    Sofia e Sônia, gostei do “toque de recolher”. Acho mesmo que é hora de dar tchau!!! Achei muito interessante usarmos essa tecnologia ultra moderana para falarmos de nossas idéias e aprendermos também. Obrigada Tony Bellotto, Pedro e Lucinéia por terem causado esse “encontro virtual”.
    É hora de férias! Hora de Natal! Hora de família! Hora de união, reconciliação e paz!
    Deixo aqui meu abraço fraternal a todos, e a certeza de que o caminho mais curto entre a insatisfação e a satisfação das pessoas que participam de qualquer instituição está NA CAPACIDADE DE OUVIR DE VERDADE O PONTO DE VISTA DO OUTRO!

    Valeu colegas de blog!

Deixe seu comentário...





*