Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Sofia Mariutti

Há quanto tempo trabalha na editora? Fiz um estágio em 2005 com a Renata Megale, na imprensa, outro em 2008 com a Ana Paula, de direitos estrangeiros, e voltei de vez em 2011. Ao todo três anos e meio.

Função: Em 2012, comecei a trabalhar no editorial, como assistente da mestre-mãe-de-todos Maria Emília, e aqui estou. Normalmente, editamos ficção estrangeira, às vezes também ensaios de romancistas, e por sorte/ afinidade a poesia completa do Leminski caiu nas minhas mãos (e estará em fevereiro nas livrarias). No dia a dia, leio originais, e, se forem bons, ajudo a transformá-los em livros: mando o material para os tradutores, discuto questões de tradução, falo com os preparadores, com o pessoal da produção, ajudo a pensar a capa, o título, o que entra na quarta, na orelha, depois converso com o pessoal de vendas, com os livreiros… enfim, acompanho o percurso todo do livro, de ideia a objeto.

Um livro: No momento, só consigo pensar no romance A morte do inimigo, do Hans Keilson, que sai em janeiro. Das melhores coisas que li nos últimos tempos.

Uma citação ou passagem de livro:

S. O. S.

não houve sim que eu dissesse
que não fosse o começo
de um esse o esse

Toda poesia, de Paulo Leminski, que será lançado em fevereiro.

Uma história que você se lembre da editora: Outro dia estava passando pela produção e me disseram que os leitores andavam reclamando de um erro no livro Ficando longe do fato de estar meio que longe de tudo, do David Foster Wallace: queriam devolver o exemplar, o dinheiro de volta. Fui conferir, na reportagem do navio, “Uma coisa supostamente divertida que eu nunca mais vou fazer”, o tal trecho polêmico, que termina do nada, depois das palavras: “por causa da”. O mesmo acontece no original, “because of” e  depois necas, nem ponto nem vírgula nem palavra alguma, uma suspensão que deixa o leitor completamente órfão. Depois desse pequeno acontecimento entendi como as inventividades de um autor podem ir longe na provocação ao leitor, incomodá-lo, enfim, movimentá-lo.

32 Comentários

  1. […] verdade – um post sobre a antologia poética do Leminski publicada em fevereiro (Toda Poesia). A Sofia acabou lendo o texto e decidiu usar uma frase no cartaz de divulgação do livro. Foi uma grande e […]

  2. […] da Ana Cecília, que preparou o livro, retransformamos o personagem em homem. No outro, nós e a Sofia, a editora, ficamos sem conseguir decidir, e optamos pela saída Ali Smith (cirurgicamente […]

Deixe seu comentário...





*