Concurso de haikais

Por Alice Ruiz S.

O haikai se faz com três linhas, ou versos, e não mais que 17 sílabas.

Seu tema é a natureza, e não nossos sentimentos e pensamentos.

Se faz com simplicidade, leveza, desapego, sutileza, objetividade, integração com o todo.

Sua melhor definição, na opinião de muitos, é uma fotografia em palavras.

Grava o instante. O fotógrafo não aparece na foto, mas sua sensibilidade sim.

O mesmo no haikai. É como se as coisas falassem por si mesmas.

Sem adjetivos, sem a impressão do poeta, exatamente como são.

Só o real, sem comparar a nada e, talvez por isso mesmo, tão incomparável.

Porque, descrevendo a coisa apenas como ela é, desperta a sensação da própria coisa.

A sensação, por exemplo, da estação em que ela acontece, nos fazendo lembrar de que tudo está sempre mudando, tem o seu próprio tempo, que é cíclico.

É essencial, isto é, capta a essência das coisas, e a essa característica se dá o nome de haimi, que significa “sabor de haikai”.

Não é difícil de entender, quando se volta à comparação com fotografia.

Qualquer um é capaz de perceber se uma foto é boa ou não, além dos aspectos técnicos.

Ela é boa se nos toca, se capta um instante especial, se provoca uma sensação.

* * * * *

Agora que você sabe mais sobre o assunto, gostaríamos que tentasse escrever seu próprio haikai. Deixe na caixa de comentários deste post um haikai de sua autoria até a meia-noite do dia 7 de março. Alice Ruiz S. e os editores Leandro Sarmatz e Sofia Mariutti escolherão os 5 melhores, e seus autores receberão uma camiseta e um exemplar de Toda poesia, de Leminski.

Divulgaremos os vencedores aqui no blog dia 13 de março. Boa sorte!

[As inscrições estão fechadas. Aguarde a divulgação do resultado dia 13 de março.]

1.010 Comentários

  1. Camilo de Lélis disse:

    Ao ver-te no inverno
    O que acontece entre nós
    Inverte a estação

  2. João Bosquo disse:

    O Sol destelha
    A casa da lua
    E apronta o dia.

  3. Jordano Souza disse:

    Passou a data, mas mesmo assim compartilho meu haikai!

    bebi muito whisky
    fui pra cama com Quintana
    acordei com leminski

  4. amoraosvinte disse:

    toda tua poesia

    pelo preço de uma pizza

    paguei trinta e seis

    tinha que ser,

    pensei

  5. […] As listas dos melhores livros de 2010Moleskines e o mito que a gente compraSaudade não tem remédio25 anos da Companhia das LetrasConcorra a exemplares de “Viagens de Gulliver”Conte uma história de amorJimmy Corrigan: o livro mais difícil do mundoO preparador, esse desconhecidoA questão das estantesConcurso de haikais […]

  6. Nelson Martinelli Filho disse:

    ouvindo as cigarras
    era uma serra ou uma
    tocava guitarra?

  7. Vinícius Paulo Correa Almeida disse:

    Sem névoa, vivo
    Sambando na areia
    Da ampulheta.

  8. Paulo Ras disse:

    Das aves da criação
    Me encanta este colibri.
    Para e não me beija.

  9. Nelson Martinelli Filho disse:

    ela bebe – hic!
    “depois de doses de vodka
    nem sei quem sou ich”

  10. Nayana Menezes disse:

    Nuvem
    Massa etérea
    Cobre a lua e o homem

Deixe seu comentário...





*