Duas comemorações

Por Luiz Schwarcz

Saramago e Mia Couto

O meu post de hoje vem apenas comemorar dois eventos importantes. O primeiro acontecerá no dia 13 de agosto, no Sesc Consolação, e contará com a presença de Pilar del Río, Mia Couto, Milton Hatoum e Andréa del Fuego. Nesse dia lançaremos as novas edições de Memorial do Convento e Levantado do chão, os dois únicos livros de José Saramago que não haviam sido publicados pela Companhia das Letras. Realizaremos, assim, um desejo antigo do escritor português, que a cada vinda ao Brasil me cobrava uma atitude, no sentido de reunir toda a sua obra em uma só editora.

Sempre expliquei ao José que estávamos de mãos atadas. A editora Caminho, que o representava, havia assinado um contrato sem prazo de encerramento com outra editora brasileira. E o cancelamento desse documento tinha que partir deles, não de nós. Apesar dos pedidos reiterados do seu principal autor, a Caminho nunca foi a fundo nem quis lidar diretamente com esse assunto.

Agora, com os direitos em posse da Fundação Saramago, e com a ajuda de Silvia Gandelman, chegamos a um acordo com a antiga detentora, a editora Bertrand Brasil, e a celebração é portanto mais do que justa. Pilar estará entre nós relembrando tantos momentos em comum e festejando a realização de um desejo tão antigo.

O segundo motivo de comemoração tem a ver com Vinicius de Moraes. A razão de minha alegria, neste caso, é a assinatura do acordo com a família de Vinicius para a edição completa das obras do autor em formato digital.

A partir de outubro, o mês do centenário de nascimento de VM, suas obras estarão disponíveis em sua completude, incluindo todos os aparatos críticos. A versão existente, que não é de nossa responsabilidade, não traz o texto definitivo, conforme o estabelecimento realizado para nossas edições. Tenho mais a dizer sobre a obra de Vinicius e as celebrações que ocorrerão ao longo desse segundo semestre, mas o farei em ocasiões futuras.

Ps.: queridos amigos aqui do blog, tirarei um tempo de férias como colunista. Durante esse período, ainda indeterminado, meu espaço quinzenal às quintas será ocupado por novos autores da casa. Curtam as (minhas) férias. Abraços.

* * * * *

Luiz Schwarcz é editor da Companhia das Letras e autor de Linguagem de sinais, entre outros. Ele contribui para o Blog da Companhia com uma coluna quinzenal chamada Imprima-se, sobre suas experiências como editor.

10 Comentários

  1. rogerio disse:

    Luis, você não saiu de férias, tirou um ano sabático (coisa muito merecida para você).
    Volta logo. Estamos com saudades dos seus textos.

  2. Oh! Gosto de chegar aqui e ler seus posts. Volte. Não gostei da sua ideia de dar um tempo-é como casamento, não existe este negócio de ‘dar um tempo’.
    Aproveite as férias e volte.
    Um abraço afetuoso.
    Elianne

  3. Carlos disse:

    Mas volte logo!

  4. José Saramago é indiscutivelmente um dos grandes escritores do século XX; e mais: ele foi um desses raros escritores que fez apenas o que queria, do modo que queria, sem concessões, sem mercantilismos, na contra-mão do mundo, e obteve pleno êxito. Que me lembre agora, essa total independência só tem par na atualidade com Thomas Pynchon e Thomas Bernhard.

    O carinho editorial da Cia com Saramago é algo tocante. Cada livro é um objeto de arte. Como eu sou um saudosista, apesar de ter quase toda a coleção do autor com as capas com as obras de Arthur Luiz Piza, sempre que vejo alguma rara edição com as capas de “chumbo”, metálicas ou douradas, que a Cia empregou antes do Nobel, eu a compro rapidamente.

    Para quem se interessar, um texto intimista sobre Saramago, capas de Saramago e escritor que teve a audácia de transformar sua vida em uma fábula, morando em uma ilha cercada de pedras:

    http://charllescampos.blogspot.com.br/2013/08/minha-comunhao-com-jose-saramago.html

  5. Marco Severo disse:

    Pois é, e o romance “Terra do Pecado”? E “O Caderno 2”, e “A Estátua e a Pedra?” Ou a Companhia não considera esses também parte do catálogo do grande mestre? Na minha contagem, “Levantado do chão” e “Memorial do Convento” não são “os dois únicos livros de José Saramago que não haviam sido publicados pela Companhia das Letras”, não.

  6. Ricardo Thomas Kober disse:

    outro gênio da literatura mundial que mereceria ter toda sua obra reunida na Cia das Letras é THOMAS BERNHARD

  7. Gustavo Inubia disse:

    Prezados, os livros de José Saramago ainda não publicados no Brasil (exemplo: Terra do Pecado, 1947, romance) serão publicados pela Cia. das Letras?

  8. Cintia disse:

    Podiam dar uma esticada no evento e traze-lo para o Rio, hein? ;)

  9. Thiago disse:

    Ótimas notícias. Pretendo prestigiar o evento no SESC Consolação. De fato, imperdível.

  10. Ramon de Córdova disse:

    Wow! E outubro está logo ali! Belíssima notícia! Meu kindle já está salivando e com o estômago a roncar só com a notícia da iguaria literária! Terei que acalmar sua ansiedade com algum livro sobre psicologia.
    Quanto ao evento relacionado a Saramago, seria um sonho estar presente… Mia Couto!!! Milton Hatoum!!! A vida ainda há de me fazer ouvir esses dois ao vivo exercitando o raciocínio!
    Ótimas férias!

Deixe seu comentário...





*