Os vitaminados

Por Otávio Marques da Costa

Os e-books já estão totalmente incorporados à nossa vida aqui na editora. Ainda nos primórdios do e-reader, quando o dispositivo gerava reações de desconfiança, manifestações de apego ao papel ou, no mínimo, o receio de que ali estivesse o gérmen do fim do mercado editorial como o conhecíamos, percebemos que ele podia ser uma mão na roda para a nossa “hora extra” mais comum dos fins de semana: a leitura de originais. Bastava baixar o arquivo e estávamos livres daqueles calhamaços, folhas se perdendo embaixo da cama ou molhadas de água de piscina.

Quando ainda muito novato na profissão, me lembro de ter ouvido a conhecida editora nova-iorquina Nan Talese — em visita ao Brasil para acompanhar o marido, Gay Talese, um dos pais do new journalism — dizer que desde que comprara seu e-reader nunca mais havia lido um original impresso, e isso tinha mudado a vida dela. Bastava levar o aparelhinho aonde fosse e pronto.  Logo eu quis arranjar um também e me livrar das resmas de papel amassado. Tarefa ainda não tão simples na ocasião, quando as versões internacionais do kindle, nook, kobo ou sony reader ainda não estavam disponíveis, e para comprar um e-book era necessário fazer uma gambiarra envolvendo um domicílio forjado (algo que os atuais usuários do Netflix americano bem conhecem). Mas a novidade me conquistou, e embora longe de ser um entusiasta de gadgets, passei quase que imediatamente a ler e consumir muito mais livros eletrônicos que físicos.

De lá para cá muito mudou, e aprendemos a tratar livros e e-books como um produto só, o que significa dizer que os lançamentos nas duas versões passaram a ser simultâneos, e que fazemos grandes esforços para a conversão do catálogo da editora. Para explorar tudo o que os novos formatos permitem, e até como uma manifestação de otimismo e entusiasmo ante esses novos tempos do nosso mercado, queríamos também experimentar a inclusão de recursos audiovisuais nos livros, produzindo o que no mundo anglo-saxão nossos pares chamam de enhanced e-books (não estávamos muito felizes com a tradução “e-book enriquecido”, então falamos em “edição especial”, mesmo).

O segundo volume de Getúlio nos pareceu o candidato ideal. Não só havia grande quantidade de vídeos (em especial os produzidos pela propaganda oficial do Estado Novo) e áudios disponíveis (entre sambas, marchinhas e discursos de Gegê),  como o material contribuía efetivamente para a compreensão do biografado e seu contexto.

Segue abaixo um vídeo introdutório gravado pelo Lira Neto (espécie de “prefácio visual” ao volume 2). Fica aqui como um convite para a leitura do nosso e-book vitaminado e coda para o making of do livro (que percalços editoriais — sim, tão comuns — tinham nos feito interromper).

[A edição especial do e-book de Getúlio, com mais de vinte extras audiovisuais, está disponível na Apple Store e na Amazon.]

* * * * *

Otávio Marques da Costa é publisher dos selos Companhia das Letras e Penguin-Companhia.

6 Comentários

  1. […] podem ser servidos pelo ePub3 de maneiras igualmente empolgantes. Bons exemplos são a biografia de Getúlio Vargas e A Grande Orquestra da Natureza (baixe uma amostra da Apple, encaixe os fones de ouvido e veja do […]

  2. Thaís disse:

    Na versão da Amazon também estão incluídos os vídeos e áudios?

    Na pagina do iBooks é informado que tem, na Amazon não faz nenhuma menção. Eu queria comprar na Amazon, mas não quero perder esses recursos.

  3. Amyr disse:

    Poderia haver alguma atualização para quem já comprou o Getúlio, v.2 na Amazon (meu caso). Parabéns pela execução da ideia.

  4. […] Fonte: Os vitaminados « Blog da Companhia das Letras. Para continuar por dentro das principais notícias do mercado de eBooks, assine nosso Boletim. […]

  5. Andreas disse:

    Vai haver promoção para ganhar o livro Getúlio? Gostei muito!

Deixe seu comentário...





*