Semana cento e sessenta e seis

Os lançamentos desta semana são:

Memorial do convento, de José Saramago
Para pagar uma promessa, D. João V, rei de Portugal, ordena a construção de um convento que irá consumir toneladas de minério brasileiro e o sangue de milhares de operários. Dentre eles, um certo Baltasar, da estirpe de Sete-Sóis, inválido da mão esquerda depois de uma guerra e apaixonado por Blimunda, uma jovem dotada de poderes extraordinários. Indivíduos que não costumam ser observados pela dita história oficial, mas que no entanto constituem  seu tecido mais delicado e essencial.
Graças ao entrelaçamento da narrativa história com tragédias individuais, e urdido numa prosa fulgurante e dotada da mais fina ironia na observação dos fatos, Memorial do Convento tornou seu autor, o prêmio Nobel José Saramago, um nome internacionalmente aclamado da literatura contemporânea.

Levantado do chão, de José Saramago
Esta é a história dos Mau-tempo, família de lavradores cuja trajetória, do começo do século XX até a Revolução dos Cravos, em 1974, é contada com o arsenal dos melhores fabulistas e o olhar generoso dos grandes críticos sociais. É também a narrativa das mudanças que um país saudoso de poder e de glória atravessaria ao longo dos anos. E da luta de muitos de seus cidadãos para assegurar uma vida mais digna no campo e na cidade.
Publicado em 1980, e imediatamente aclamado em seu país, Levantado do chão é uma dessas obras incontornáveis na luminosa produção do português José Saramago, um dos grandes narradores do nosso tempo. A história social e a observação poética e particularizada da vida humana ganham aqui contornos de uma espécie de épico da vida ordinária — mas jamais comum, uma vez que cada um de seus personagens reluz com o brilho singular de uma das mais poderosas criações ficcionais das últimas décadas.

A conferência dos pássaros, de Peter Sís.
Num mundo repleto de disputas, revoltas e destruição, os pássaros, liderados pela poupa, decidem ir em busca do rei Simorgh. Ele tem a resposta para todas as perguntas e será o único capaz de encontrar uma solução para tanta descrença e infelicidade. Depois de superarem o medo e o comodismo, as corajosas aves alçam voo, percorrem todos os cantos do planeta e atravessam sete vales: o Vale da Procura, o Vale do Amor, o Vale da Compreensão, o Vale do Desapego, o Vale da Unidade, o Vale do Deslumbramento e o Vale da Morte. Mas, ao encontrar o grande sábio, descobrem que a resposta estava muito mais perto do que imaginavam…

Deixe seu comentário...





*