Bridget Jones está de volta

Bridget Jones está de volta, e suas novas aventuras já estão disponíveis em todas as livrarias.

Logo que foi lançado, O diário de Bridget Jones conquistou uma legião de fãs e se tornou a voz de toda uma geração de mulheres modernas, de trinta e poucos anos, divididas entre a esperança de encontrar o verdadeiro amor e as frustrações dessa busca. Mulheres que, como Bridget, precisam se desdobrar entre as realizações profissionais e os cômicos percalços que mancham seu currículo, entre as exaustivas demandas familiares e as farras com amigos, entre os cuidados com a silhueta e o prazer de devorar cinco barras de chocolate antes do café da manhã.

Catorze anos após o último livro, Bridget Jones: No limite da razão, nossa heroína retoma seu diário abandonado e mostra que continua a mesma, e ainda mais viva – e ativa – do que nunca. O tempo se encarregou de trazer à sua vida outros dramas e dilemas, mas não levou embora seu jeito estabanado e a personalidade luminosa sem a qual ela não poderia enfrentar os momentos comoventes que a aguardam. Além de não descuidar da balança e manter-se longe dos cigarros, agora ela também precisa se preocupar com sites de relacionamentos, o número de seguidores no Twitter e os perigos de trocar mensagens de texto depois de algumas taças de vinho.

Ainda às voltas com os amores, Bridget tropeça em novas confusões e tenta em vão se esquivar das gafes que ajudaram a consagrá-la como uma das personagens mais divertidas da literatura feminina contemporânea, enquanto figuras antigas e recentes desfilam por sua vida – sobretudo um garoto misterioso que vem para balançar seriamente suas certezas.

Para comemorar o lançamento, vamos fazer uma promoção valendo três kits Bridget Jones, com os dois filmes da Bridget em DVD, um caderno especial para você começar seu próprio diário, e um exemplar de Bridget Jones: Louca pelo garoto.

Para concorrer, é só se inspirar nas trapalhadas da personagem e responder: qual foi o seu momento Bridget? Deixe sua resposta nos comentários até a meia-noite do dia 13 de novembro.

Escolheremos as três melhores respostas, e seus autores receberão um kit Bridget Jones. Os ganhadores serão anunciados no dia 20 de novembro, neste mesmo post.

[Editado às 19h30 do dia 20 de novembro]

Obrigada a todos que participaram! Lemos todas as respostas e os escolhidos foram: Júlia Canassa, Ellen Maria Martins de Vasconcellos e Jordano Lopes. Parabéns, entraremos em contato com vocês por email!

53 Comentários

  1. elaine disse:

    Sou uma eterna Bridget, esse nome é forte e revela as características de uma mulher batalhadora, guerreira e moderna, que ao mesmo tempo que sabe tomar decisões complicadas, se confunde com as coisas simples, ama a vida e sabe vivê-la.
    Uma salva de palmas á todas as Bridget’s espalhadas por esse mundão á fora.

  2. Tamara Silva disse:

    Momento Bridget Jones? Eu as vezes acho que sou ela. Talvez um pouco menos atrapalhada?!Lembro de quando me apaixonei pelo meu melhor amigo e depois de muita indecisão, choro, lágrimas e sorvete ( de chocolate,claro!)resolvi contar pra ele. Acho que o que ele disse e o que eu entendi não foram a mesma coisa ( se tratando de mim é obvio!). Ele disse que a gente iria ver como as coisas se resolveriam mas que eramos apenas amigos. O que eu entendi: somos amigos mas tudo pode rolar! Uma semana depois, na frente de todos os meus amigos, ele apresenta sua linda noiva. Eu fiquei lá com cara de taxo, fingindo sorriso, disfarçando lágrimas e fazendo cara de estou feliz mas posso morrer agora?

  3. Olá! Não é apenas eu que me acho uma “Bridget jones” da vida real! minha irmã também! ao longo de minha vida tive vários momentos “Bridget Jones” para comprovar contarei 3 de algumas situações hilárias e atrapalhadas que me ocorreram!

    A vez em que fui a uma instituição escolar me informar sobre alguns cursos e fazer a matricula, chegando lá a porta estava aberta, subi a escada , chamei, bati palma, não tinha ninguém , então eu fui entrando, enquanto entro percebo que o colégio é parecido com um ambiente muito familiar. uma casa! de repente me assusto com um cara lindo atrás de min perguntando se eu quero alguma coisa, eu explico a ele que eu vim me informar sobre alguns cursos e fazer matricula, ele me olha estranho como se eu fosse louca, e começa a dar risada, e me diz que o aquilo não era um colégio e sim uma casa residencial , e que a escola já não existia mais a muitos anos! Meu deus! como assim??? eu só queria sumir! estava morta de vergonha daquele gato, pedi desculpas e desci a escada correndo!

    A vez em que sai da faculdade para pegar o ônibus pedi um táxi, era noite o táxis estava com a luz apagada , então aproveitei para passar desodorante disfarçadamente, não sabendo eu que o taxista estava me olhando pelo espelho e dando risada, e ainda olhou para trás e disse: hummm agora o Táxi vai ficar cheiroso! hahahahah eu não sabia onde enfiava minha cara e só pedia a Deus que eu chegasse logo no meu destino!

    A vez em que fui fazer o vestibular sem saber onde era o lugar,exceto por uma foto que vi pela internet, chegando o táxi me deixou na porta, porém o lugar tinha 2 entradas, por frente e por trás, e eu lógico não fazia a mínima ideia, o taxista me deixou na porta de trás eu é claro fiquei apavorada achando que estava no lugar errado, e que iria perder a prova, liguei para um outro taxista e pedi para ele me deixar no endereço sendo que já estava lá, só que na porta da frente! o taxista rodou comigo e parou o carro na porta de trás , olhou para trás e disse: você já estava aqui! e começou a rir da minha cara, eu não sabia se chorava de vergonha ou se ria junto com ele! e foi assim que peguei 2 táxis para ficar no mesmo lugar!

  4. Aline Spindola disse:

    Meu melhor momento Bridget?

    Eu tenho a teoria que se você beber bastante cerveja,e o formigamento que você sente no corpo ao beber, será semelhante a estar apaixonada.
    Para ser mais atraente você não precisa ter melhores seios. O que você precisa é ler livros melhores.
    Este é o meu momento Bridget…

  5. Natália disse:

    A primeira noite romântica que tive com meu namorado um momento a la Bridget Jones.
    Tive que escolher entre usar uma calcinha que me emagrecesse ou uma sexy, como sou muito tímida – e acreditava que nada fosse acontecer – escolhi ficar magra…
    Depois de muita conversa e uma garrafa de vinho acabamos tendo nossa primeira noite… ainda bem que meu namorado é um cavalheiro e não comentou da minha calcinha ENORME e ainda por cima BEGE – realmente é muito amor por uma pessoa conseguir lidar com esse combo de forma elegante.
    Hoje, após dois anos de namoro ele comenta da nossa primeira vez de forma bem humorada, e a respeito da maior calcinha bége que ele já viu na vida.

  6. Mariane disse:

    Compartilho meus momentos “Bridget” com muitas mulheres! Assim como ela, já entrei em um relacionamento sério com dois homens (o Sor e o Vete); acredito em livros de auto-ajuda; sempre deixo a ginástica para amanhã; odeio almoços familiares aos domingos; tenho os melhores amigos do mundo; mantenho um diário e escrevo nele coisas que não cumpro; sou obcecada pelo meu peso; saio para fazer compras quando estou deprimida; sempre estou descontente com meu trabalho atual; sou jornalista; sempre há um Daniel Cleaver na minha vida; sou péssima cozinheira; etc etc etc Por fim, tenho momentos “Bridget” porque, assim como ela, sou uma mulher moderna e corajosa, que sempre se dá a oportunidade de experimentar. Todas nós somos um pouco assim também.

  7. Clarice B. disse:

    É importante ressaltar que, no ano em que se passa esta história, tomei um pé na bunda após de um namoro de quatro anos. O fim do relacionamento tinha sido há uns seis meses e eu estava tentando me recompor, à beira dos 30, com a auto-estima abalada. Na época, eu trabalhava em uma agência de publicidade e saía de segunda a segunda, paquerando, me divertindo e sobretudo, bebendo muito.
    Era final de ano, íamos todos os dias para casa de ônibus juntas, eu e a estagiária da agência. Demorou dois meses para descobrirmos que o homem mais velho e “experiente” que ela estava pegando, cujos detalhes sórdidos do relacionamento de ambos eram contados pra mim durante as viagens a caminho de casa, era o mesmo homem que foi meu namorado nos últimos quatro anos da minha vida (aquele cujo pé na bunda doeu pacas!). Depois daquilo, minhas saídas à noite se tornaram mais bombásticas. Até que um dia cansei e resolvi pegar mais leve.
    Num dia de final de ano aceitei um convite pra um jantar, tipo encerramento, de algum cliente lá da agência. Teria comida grátis, carona e bebida: era tudo o que eu precisava. O aspecto físico-facial da minha pessoa não se encontrava nada bem. Foi a fase em que mais engordei e tive muitas, mas muitas espinhas. Pra mim, ter espinhas aos trinta anos era lastimável.
    Havia uns seis meses em que não aparecia nenhum homem interessante na minha vida, mesmo com tantas saídas e festas. E justamente neste jantar, aparece um ser desejável no meio de tantas pessoas desinteressantes. Era o vocalista da banda que fazia o som daquele jantar. Carinha super de gato, bonito. Imagina! Olhar pra uma garota gordinha, cheia de espinhas… Comi, bebi e me arrumei pra ir embora. Eis que na saída do elevador, uma mão para a porta! Era o vocalista da banda, pedindo pra eu não ir sem escutar a última parte do show. Fiquei tão surpresa e imaginando que aquilo não iria dar em nada. Eu apostava que ele queria pedir algum favor, sei lá… O show acabou e ele sentou-se na mesa em que eu estava. Me paquerou intensamente. Não perdi tempo, fisguei a isca, não tinha nada a perder. Fomos para uma danceteria e dançamos a noite toda, foi demais! Não tínhamos nenhuma intenção de passar o resto da vida juntos, nem aos menos lembro seu nome. Somente posso relatar que aquela noite foi incrível e acordei (acordamos) super atrasada, pensando somente em ligar para o meu chefe e inventar uma forte gripe e que por causa disso, eu só iria pro trabalho à tarde. Com o meu chefe muito desconfiado (eu já estava na roleta russa havia dias), tive que fingir estar gripada por uns três dias, com direito a tosse, lenços de papel e até secreções líquidas manipuladas… tudo pra não perder o emprego, que, por aquela noite, valeu muito à pena! Ah, se o vocalista e eu ficamos juntos? Não, tudo de bom aconteceu apenas naquela noite e nunca mais nos vimos.

  8. Mayara Souza disse:

    Eu uso óculos. E não no sentido uso óculos-pra-enxergar-melhor da coisa. Eu uso óculos no sentido óculos-pra-enxergar-alguma-coisa da coisa. Um belo (leia-se trágico) dia na escola, estou eu na aula de educação física (minha aula preferida – só que não) quando uma bola é lançada, me antinge no rosto e derruba o óculos no chão. Pegou de raspão no meu rosto, mas os óculos já eram. Graças a Deus que era o último período do dia, senão eu teria passado o dia todo sem enxergar nada. Mas até aí tudo bem, desgraça pouca é bobagem. Dali a pouco iria pra casa e no fim das contas tudo tinha um lado bom; pelo menos eu iria comprar um óculos novo. Liguei pra minha mãe e ela iria me buscar para irmos atrás do óculos novo. Ela disse que estaria por perto e não demoraria muito. Eu estava descendo a escada para ir pra portaria da escola quando pisei em falso e caí na frente de todo mundo, inclusive de um carinha que eu gostava. Todo mundo olhando pra mim, e eu: “Tô bem, tô ótima!” hahaha Morta de vergonha, resolvi esperar na frente da escola e não hesitei em atravessar a rua quando vi um carro igual ao da minha mãe parar. Eu só queria sair dali! Quando abri a porta pra sentar, dei de cara com uma senhora me encarando com cara de quem-é-essa-louca-entrando-no-meu-carro. Logicamente essa senhora me encarando com cara de quem-é-essa-louca-entrando-no-meu-carro não era a minha mãe. Fiquei ainda mais roxa de vergonha, pedi desculpas e sai do carro rapidinho. Pior dia de todos. Murphy me ama.

  9. Cristina Andrade disse:

    Meu momento Briget Jones, foi quando conheci um cara depois de sete anos sozinha, estávamos nos dando super bem. Apostei na relação, combinamos de passar o réveillon juntos, estava tudo perfeito na minha cabeça. Mas o sacana inventou uma desculpa que precisava viajar, fiquei p, da vida. Moral da história, nos cruzamos na mesma festa de fim de ano, ele com outra e, eu sozinha curtindo a maior dor de corno da minha vida! Foi terrível!

  10. Andréia Cristina do Prado disse:

    Tenho momentos Bridget Jones todos os dias. Que mulher, afinal, não tem? Minhas inseguranças incansáveis, minhas gafes cometidas sempre com o intuito de não cometê-las e a eterna mania de tentar encontrar mensagens implícitas nas coisas mais simples que meu marido fala. Talvez por isso Bridget Jones seja tão amada. Afinal, no fundo de cada situação absurda pela qual a personagem passa, encontramos um pouquinho da nossa própria loucura e fazemos disso motivo de riso… pelo menos até o próximo drama.

Deixe seu comentário...





*