Meu quadrinho favorito de 2013

Por Erico Assis

Meu quadrinho favorito de 2013 saiu em 2012 e chama-se Annie Sullivan and the Trials of Helen Keller. Annie Sullivan, deficiente visual, foi a professora da menina cega e surda Helen Keller, que viria a tornar-se defensora dos portadores de deficiência nos EUA cem anos atrás. A história das duas já virou peça de teatro e filme. No quadrinho, o mundo sem visão, sem audição e sem instrução de Keller consiste em sombras imaginadas. A língua de sinais que Sullivan lhe ensina vai dando nome às sombras: pedra; grama; graveto; você; eu. Não haveria como representar o processo mental de Keller melhor do que numa HQ. O autor é um americano chamado Joseph Lambert, que está recém começando carreira.

Meu quadrinho favorito de 2013 foram os quase 4 mil frames de “Time”, da xkcd. Ou melhor, a discussão em torno de “Time”, seus significados ocultos, suas pistas elaboradas, o xkcd Time Wiki e os quatro meses de especulação. Não curti muito quando o Randall Munroe resolveu explicar a história, por isso finjo que a explicação não existe.

Meu quadrinho favorito de 2013 foi a edição de Hellblazer pelo Neil Gaiman que eu li pela primeira vez quando tinha uns dezesseis anos, e várias vezes depois dos dezesseis, e que rererererereli de forma privilegiada porque tive que traduzi-la. Duas outras HQs do Gaiman que li e reli e reli muito desde a adolescência também saíram com traduções minhas: Orquídea Negra e Os Livros da Magia. Além de fazer outras traduções de Gaiman, este ano vi o próprio de perto durante três dias seguidos. Não lhe dirigi uma palavra sequer.

Meu quadrinho favorito de 2013 foi virar editor de quadrinhos. Não tanto editor, mas tradutor com privilégios. O Outros Quadrinhos, que surgiu da conversa num café com meu amigo Fabiano, encerrou o ano com 500 páginas de webcomics inéditas em português. (E ainda rendeu a colaboração com The Private Eye, que também é meu quadrinho favorito de 2013.) (Não espalhem, mas meu Outro Quadrinho preferido é Os Nós Ocultos.)

Meu quadrinho favorito de 2013 foi a descoberta de Robô Esmaga, do Alexandre Lourenço. Meu quadrinho favorito de 2013 foi Notre Toyota Était Fantastique (ou Our Toyota was Fantastic), do Boulet. Meu quadrinho favorito de 2013 foi Sex Criminals, Hawkeye, Matt Fraction contra o suicídio, Jupiter’s Legacy, The Superior Foes of Spider-Man, Battling Boy. Meu quadrinho favorito de 2013 foi o infográfico The Chris Ware Sadness Scale no Supergraphic. Meu quadrinho favorito de 2013 foi Você é Minha Mãe? e o molho de chaves do Rafael Sica no Claviculário. Meu quadrinho favorito de 2013 foi Harmatã, do Pedro Cobiaco, One Page Movie, do Bruno Seelig, e O Beijo Adolescente 2, do Rafael Coutinho.

Meu quadrinho favorito de 2013 foi “There’s a Place”, que o Kioskerman só postou no Twitter. Tem seis quadros, parece ter sido desenhado enquanto ele estava no telefone e diz que “Existe un país adentro de mi cabeza donde la práctica religiosa de la población entera consiste en observar a un bebe por horas, sin pensar absolutamente nada.” Se os melhores quadrinhos — e literaturas, e cinemas, e músicas etc. — são os que mostram o mundo onde gostaríamos de viver, eu escolho esse.

* * * * *

Érico Assis é jornalista, professor universitário e tradutor. Do selo Quadrinhos na Cia., ele já traduziu RetalhosHabibi, de Craig Thompson, Umbigo sem fundo, de Dash Shaw, e os três volumes de Scott Pilgrim contra o mundo, de Bryan Lee O’Malley, entre outros. Ele contribui quinzenalmente para o blog com textos sobre histórias em quadrinhos.
Site – Twitter – Outros Quadrinhos

3 Comentários

  1. Tuca disse:

    Great, as usual. Tô cheio de vontade de ler um monte de coisa, já que quase não li hqs em 2013.

  2. Lucas disse:

    OPM certainly rules!

  3. […] – A lista do Érico Assis no Blçog da Cia. […]

Deixe seu comentário...





*