O romance de Charlie Chaplin

É ponto pacífico que Charlie Chaplin foi um dos grandes gênios da história do cinema, mas poucos sabiam que ele também havia escrito um romance tão extraordinário quanto seus melhores filmes. Footlights, escrito em 1948, deu origem ao filme Luzes da ribalta, mas nunca chegou a ser publicado.

Sessenta anos depois, a Cineteca di Bologna — responsável pelo arquivo do cineasta inglês — preparou uma edição especialíssima do livro, enriquecida com fotos da época e documentos inéditos da coleção privada do autor; e o biógrafo oficial de Chaplin, David Robinson, fez ainda uma introdução e um longo comentário sobre o contexto em que o artista criou o romance e depois o filme.

A Companhia das Letras adquiriu os direitos de publicação do livro, ainda sem previsão de publicação. Os leitores brasileiros enfim terão acesso à história nostálgica e sombria de Calvero, o palhaço alcoólatra e decadente que salva uma jovem bailarina que acabara de tentar o suicídio. Neste trecho do filme, vemos Chaplin interpretando o protagonista e a bela Claire Bloom em sua estreia no cinema:

Leia a matéria da Folha de S. Paulo sobre Footlights: Único romance de Chaplin sai na Europa