Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Bruno Porto Gonçalves

Há quanto tempo: Um mês.

Função: editor da Paralela, o selo comercial da Companhia das Letras. Eu faço aquisição e edição de livros de autores nacionais e estrangeiros. No caso dos nacionais, compramos livros que já estão prontos ou desenvolvemos ideias e depois vamos atrás de autores para executá-las. No dos estrangeiros, buscamos lá fora livros que sejam interessantes para o nosso público, compramos os direitos, traduzimos e lançamos aqui. No caso de ambos, brasileiros e estrangeiros, acompanho a preparação e revisão dos textos.

Um livro: Pastoral Americana, do Philip Roth.

Uma citação: “Ele aprendeu a pior lição que a vida pode ensinar – a de que ela não faz sentido”. Uma frase dolorida, mas inesquecível como a obra do Roth.

Sua parte favorita do trabalho: São muitas, mas atingir um público de novos leitores, pessoas que até pouco tempo nunca tinham pego num livro, certamente é uma delas.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Fiz jornalismo e trabalhar numa editora é um desdobramento natural disso. Saí da redação, mas sigo lidando com texto e, sobretudo, histórias. E quem sobrevive sem histórias?