Semana duzentos e dezenove

Mansfield park, de Jane Austen (Trad. Hildegard Feist)
Na literatura, esperamos que o herói seja vigoroso, tenha um espírito aventureiro, audácia, bravura, capacidade de superação e uma pitada de imprudência. Ele deve ser ativo, enfrentar obstáculos e afirmar a própria energia. Fanny Price, a heroína de Mansfield Park, é o oposto de tudo isso.
Frágil, tímida, insegura e excessivamente vulnerável, a pequena Fanny deixa a casa dos pais pobres para morar com os tios mais afortunados em Mansfield Park. Lá, convive com diversos familiares, mas se aproxima apenas do primo Edmund, seu companheiro inseparável. A tranquilidade de casa, no entanto, é abalada com a chegada dos irmãos Mary e Henry Crawford em uma propriedade vizinha. Edmund se apaixona por ela, enquanto Henry flerta com todas as moças. Mansfield Park é o romance que marca a maturidade de Jane Austen. Apresenta um tom mais contido, sardônico, em comparação com obras idealizadas antes, como Orgulho e preconceitoRazão e sensibilidade. Aqui, mais consciente dos verdadeiros males e sofrimentos inerentes à vida em sociedade, uma das maiores autoras da língua inglesa enaltece, na figura de Fanny, a imobilidade, a solidez, a permanência e a resignação.

O pirata e o farmacêutico, de Robert Louis Stevenson (Trad. Eduardo Brandão)
Neste poema inédito de Robert Louis Stevenson, o autor de A ilha do tesouro, as crianças conhecerão Robin e Ben: amigos que cresceram juntos mas, como muitas vezes acontece, acabaram tomando caminhos opostos. Com toda a aventura, ação e fantasia desta história, não vai ser difícil mergulhar na vida desses dois simpáticos – apesar de um pouco violentos – personagens e se deleitar com as ilustrações incríveis do artista alemão Henning Wagenbreth.

O livro do contra, de Atak
Este livro é meio do contra – até lembra certas crianças que todos conhecemos. Gosta de contar histórias sobre um mundo de pernas para o ar. Em suas ilustrações, o rato caça o gato; o urso polar vive no mato; o trem voa nos ares e o avião desliza nos mares. O bombeiro apaga a água com fogo e a Chapeuzinho caça o pobre do lobo. Que bagunça! O leitor vai dizer: quanta barbaridade! Mas, cada vez que descobrir uma mentira da boa, vai aprender um pouco sobre o mundo de verdade.O autor deste livro é um renomado artista alemão, e para a edição brasileira ele fez uma ilustração especial inspirada no nosso país.

Editora Seguinte

Coração ardente, de Richelle Mead (Trad. Guilherme Miranda)A alquimista Sydney Sage não é mais a mesma. Criada desde criança para desprezar os vampiros, ela acabou vencendo seus preconceitos em sua última missão, durante a qual foi obriada a conviver diariamente com essas criaturas. Aos poucos, ela não só criou laços de amizade com vampiros como acabou se apaixonando por um deles e, surpreendendo até a si mesma, decidiu levar o relacionamento adiante, em segredo.  Tudo se complica quando Zoe, sua irmã, se junta à missão. Apesar de querer resgatar a amizade entre elas, Sydney conseguirá manter essa vida oculta por muito tempo? A ameaça de ser descoberta – e mandada para a terrível reeducação – é maior do que nunca.