Semana duzentos e cinquenta e quatro

blog1

Livro de letras, de Vinicius de Moraes
Esta nova edição do Livro de letras reúne a totalidade de canções compostas por Vinicius, entre peças individuais e parcerias. Um elenco inesquecível de canções, conhecidas hoje no Brasil e no mundo: “Garota de Ipanema”, “Canto de Ossanha”, “Água de beber” e “A tonga da mironga do kabuletê”, entre dezenas de outras. De quebra, duas letras que anteriormente não tinham sido publicadas, fruto da parceria do poeta com os compositores Francis Hime e Edu Lobo. Completa o volume o ensaio de Paulo da Costa e Silva, encomendado especialmente para esta edição, com uma análise detida e esclarecedora da canção em Vinicius de Moraes, além de textos de Eucanaã Ferraz (curador da coleção), José Castello (sobre o percurso do Vinicius letrista) e uma divertida crônica do autor português Alexandre O’Neill sobre um concerto de Vinicius e Baden a alegrar uma noitada e espantar o cinza em plena Lisboa salazarista.

O corpo humano, de Paolo Giordano (tradução de Eduardo Brandão)
Último a se incorporar ao pelotão de rapazes comandado pelo primeiro-sargento Antonio René, o cabo Roberto Ietri tem apenas vinte anos quando é enviado à Guerra do Afeganistão. O momento de adentrar o território inimigo será também aquele em que cada soldado terá de acertar as contas com o que deixou em suspenso na Itália. Ao voltar, terão ultrapassado irreversivelmente a linha que separa a juventude da vida adulta. Delineando com precisão os contornos das guerras contemporâneas, sem deixar de lado os conflitos familiares, afetivos e os intermináveis conflitos que travamos contra nós mesmos, o romance visceral de Paolo Giordano nos faz lembrar do que é ser humano.

Companhia das Letrinhas

O jardim, de Carlos Drummond de Andrade
Neste livro, construído a partir de crônicas e poemas de Carlos Drummond de Andrade, o leitor conhece as várias faces do seu jardim: “O jardim, convite à preguiça, exige trabalho infatigável.”; “Jardim apenas, pétalas, presságio.”; “‘Amor’ – eu disse – e floriu uma rosa/ embalsamando a tarde melodiosa/ no canto mais oculto do jardim,/ mas seu perfume não chegou a mim.”. Não bastasse o encantamento dessas palavras, as pinceladas de Atak entram em cena para completar o quadro e fazer desse jardim um convite – para todas as idades – à imaginação e ao desenvolvimento das nossas sensibilidades.

2 Comentários

  1. admin disse:

    Oi, Rodrigo!

    Não houve nenhum problema com o livro, ele está previsto para chegar nesta semana às livrarias. :)

    Vamos conferir a página dele em nosso site, obrigado!

  2. Rodrigo disse:

    Houve alguma alteração no lançamento de A estepe, do Tchékhov? A página do livro foi excluída do site.

Deixe seu comentário...





*