Hoje Alice faz 70 anos. VivAlice!

Por Sofia Mariutti

AQ5A0410

Alice Ruiz S nasceu em Curitiba, no dia 22 janeiro de 1946. O “S” do nome da Alice veio da numerologia. Sim, Alice crê en las brujas. Alice é aquariana e manja tudo de signos. Alice ama plantas. Se você for dar flores pra Alice, dê flores vivas, jamais um buquê. Alice é contra chamar “poeta” de “poetiza”, porque “amortiza”. Alice é uma baita poeta.

Seu primeiro livro, Navalhanaliga (1980), ganhou o prêmio de melhor obra publicada no Paraná naquele ano. O primeiro livro que li dela, na adolescência, me marcou muito. Pelos pelos foi lançado em 1984, no selo Cantadas Literárias, dirigido pelo Luiz Schwarcz, antes dele sair da Brasiliense e criar isso tudo aqui que está fazendo 30 anos em 2016. Pelos pelos é, portanto, mais velho que a Companhia, tem 32 anos. Além de ter sido editado pelo Luiz, a capa cheia de pelos de todas as cores foi pintada pelo meu pai, por isso tenho um carinho especial por esse livro.

pelospelos2

 

Em 2015, Alice voltou a ser publicada pelo Luiz com Outro silêncio, coleção de haikais que nos ensinam muito sobre a poesia e a natureza.

Alice é autora de outros vinte livros, entre eles Vice-versos (1988) e Dois em um (2008), os dois últimos vencedores de prêmios Jabuti. Já foi também publicitária, tradutora (do japonês!) e editora, escreveu roteiros de histórias em quadrinhos (eróticos!) e teve artigos feministas lançados em revistas. Alice é uma das minhas ídolas feministas. Ministra oficinas de haikai por todo o Brasil e é a responsável pela organização de Toda poesia de Paulo Leminski.

E nem todo mundo sabe, mas a Alice é uma das maiores letristas da nossa música popular. Ela tem parcerias com Arnaldo Antunes, Zeca Baleiro, Zélia Duncan, Itamar Assumpção, José Miguel Wisnik, Alzira Espíndola, Chico César… Letrista tem dessas, o mérito costuma ir pra quem musicou, pra quem gravou, pra quem cantou. Então, para este aniversário de 70 anos da Alice, fiz uma seleção das minhas letras preferidas dela.

 “Socorro”, parceria com Arnaldo Antunes

Qualquer coisa que se sinta

tem tanto sentimento deve ter algum que sirva

 

Navalha na liga”, parceria com Itamar Assumpção

Valha navalha na liga

Nada na barriga

 

“Sem receita”, parceria com José Miguel Wisnik

quem pode saber como se tempera um coração?

 

“Se tudo pode acontecer”, parceria com Arnaldo Antunes, gravada também por Adriana Calcanhoto

a gente caminhando de mão dada de qualquer maneira

eu quero que esse momento dure a vida inteira

e além da vida ainda de manhã no outro dia

se for eu e você

se assim acontecer

 

“Milágrimas”, parceria com Itamar Assumpção

A cada mil lágrimas sai um milagre

 

“Vou tirar você do dicionário”, parceria com Itamar Assumpção que ficou conhecida na voz de Zélia Duncan

Eu vou tirar você de letra nem que eu tenha que inventar

outra gramática

eu vou tirar você de mim

assim que eu descobrir com quantos nãos se faz um sim

 

“Sei dos caminhos”, parceria com Itamar Assumpção

sei dos caminhos que chegam, sei dos que se afastam

conheço como começa, como termina o que faço

só não sei como chegar

ao nosso próximo passo

 

“Cansei de ouvir abobrinhas”, parceria com Itamar Assumpção

Cansei de ouvir abobrinhas

vou consultar escarolas

prefiro escutar salsinhas

pedir consolo às papoulas

e às carambolas

* * * * *

Sofia Mariutti é editora da Companhia das Letras.

Um Comentário

  1. fernanda disse:

    Adorei a seleção! E a homenagem, claro. Alice Ruiz é demais!!!

Deixe seu comentário...





*