Livros de Jorge Amado para ler em fevereiro!

Nos 30 anos da Companhia das Letras, homenageamos em fevereiro nosso autor, Jorge Amado. Um dos maiores protagonistas da literatura brasileira, Jorge Amado é um escritor atemporal, ou seja, foi e é lido por diversas pessoas de idades variadas. Sua obra está publicada em mais de cinquenta países e foi adaptada para o rádio, cinema, televisão e teatro, transformando seus personagens em parte indissociável da vida brasileira. Nada melhor que uma lista para passar o mês todo lendo os melhores livros do autor. Boas leituras!

1. Capitães da areia

Capitaes da areia BOG

Desde o seu lançamento, em 1937, Capitães da Areia causou escândalo: inúmeros exemplares do livro foram queimados em praça pública, por determinação do Estado Novo. Ao longo de sete décadas a narrativa não perdeu viço nem atualidade, pelo contrário: a vida urbana dos meninos pobres e infratores ganhou contornos trágicos e urgentes. Várias gerações de brasileiros sofreram o impacto e a sedução desses meninos que moram num trapiche abandonado no areal do cais de Salvador, vivendo à margem das convenções sociais.

2. Terras do sem-fim

Terras do sem fim BLOG

Publicado em 1943, Terras do sem-fim é narrado durante a guerra pela posse da terra na região cacaueira do sul da Bahia, na qual os irmãos Badaró enfrentam o coronel Horácio da Silveira. A luta pela subsistência se entrelaça com intrigas políticas, relações amorosas, crimes passionais. Dois romances improváveis se destacam em meio aos tiroteios e tocaias: o do jovem advogado Virgílio e Ester, esposa do coronel Horácio, amor condenado a um desfecho sangrento, e o de Don’Ana, a valente filha de Sinhô Badaró, e o “capitão” João Magalhães, um embusteiro que se faz passar por engenheiro militar.

3. Agonia da noite

Agonia da Noiteblog

O acontecimento crucial do livro é a greve dos estivadores do porto de Santos, que se recusam a embarcar uma carga de café destinada à Espanha num navio alemão, como cortesia de Getúlio Vargas a Franco. Em torno desse evento movem-se os mais diversos personagens, como grevistas, banqueiros, poetas, funcionários públicos corruptos e jovens diplomatas, além de policiais, políticos, jornalistas e militantes comunistas. A ação não se restringe ao palco das docas santistas, deslocando-se às fábricas de São Paulo, aos cassinos do Rio de Janeiro, às selvas do Mato Grosso e aos campos de combate da Espanha – onde se decide o destino da democracia.

4. O amor do soldado

Amor do soldadoblog

Escrita em 1944 por encomenda de Bibi Ferreira, o atormentado e trágico romance entre Castro Alves e a atriz portuguesa Eugênia Câmara é o tema desta única obra de teatro de Jorge Amado. O texto não chegou a ser encenado na época, uma vez que a companhia de Bibi Ferreira se dissolveu, mas foi publicado em livro três anos depois, em homenagem ao centenário do nascimento do poeta dos escravos.

5. São Jorge dos Ilhéus

Sao jorgeBLOG

Continuação natural de Terras do sem-fim, narra a saga dos pioneiros e as guerras sangrentas pela posse da terra onde durante uma alta de preços forçada astuciosamente pelos exportadores. Com o intuito de ludibriar os velhos coronéis e açambarcar suas terras, a cidade de Ilhéus vive uma breve idade do ouro, com uma vida noturna vibrante, e recebe aventureiros de todos os pontos do país e até do exterior.

6. Dona Flor e seus dois maridos

Dona florBLOG

Um dos romances mais populares de Jorge Amado, levado com êxito ao cinema, ao teatro e à televisão, Dona Flor e seus dois maridos conta a história de Florípedes Paiva, que conhece em seus dois casamentos a dupla face do amor: com o boêmio Vadinho, Flor vive a paixão avassaladora, o erotismo febril, o ciúme que corrói. Com o farmacêutico Teodoro, com quem se casa depois da morte do primeiro marido, encontra a paz doméstica, a segurança material, o amor metódico.

7. Bahia-de-todos-os-santos

Bahia de todos-os-santos

Escrito originalmente em 1944, no auge da luta antifascista, manteve em suas sucessivas atualizações a abordagem visceral que o transformou numa obra ao mesmo tempo de celebração dos esplendores da cidade e de denúncia de suas muitas mazelas.

8. ABC de Castro Alves

ABC de castro alvesBLOG

Jorge Amado nos mostra que há uma coerência entre a biografia do poeta e sua poesia. Seus amores intensos, sua ativa militância em prol da Abolição e da República, sua personalidade arrebatadora, tudo isso se traduz na veemência de seus versos.

9. O país do Carnaval

Pais do carnavalBLOG

Romance de estreia, escrito quando Jorge Amado tinha dezoito anos, O país do Carnaval(1931) é, apesar do título irônico, mais sombrio e introspectivo que a maioria dos livros que fizeram dele o ficcionista mais popular da literatura brasileira. A narrativa começa no navio que traz de volta ao Brasil o jovem filho de fazendeiro Paulo Rigger, depois de sete anos em Paris, onde cursara direito e absorvera comportamentos e ideias modernas. Nos primeiros dias que passa no Rio de Janeiro, Rigger tenta compreender um país onde já não se sente em casa, um país que tenta timidamente superar seu atraso oligárquico e ingressar na era industrial e urbana.

10. Essencial Jorge Amado

Essencial Jorge amadoblog

Em Essencial Jorge Amado, o historiador Alberto da Costa e Silva realizou uma seleção a fim de oferecer ao leitor um panorama geral desta obra. Como ocorre na coleção Portable, da Penguin, que inspirou a série, Essencial Jorge Amado dá um giro por toda a produção do autor: são trechos de romances, reportagens, contos e uma novela completa, A morte e a morte de Quincas Berro d’Água.

Bônus

A comida baiana de Jorge Amado

comida baiana de Jorge amadoblog

Só de ler Jorge Amado a gente já fica com água na boca cada vez que um personagem resolve comer. Paloma Jorge Amado compilou as receitas de pratos que aparecem na obra de seu pai e o resultado é este livro, que ainda apresenta citações, divertidas crônicas e maravilhosas fotos.

Um Comentário

  1. pedrita disse:

    eu adorei capitães de areia, o filme é muito bom tb. li em uma biblioteca há muitos anos. gostei muito de terras do sem fim, comprei em um sebo. os outros eu não li. anotado. beijos, pedrita

Deixe seu comentário...





*