ATUALIZAÇÃO: Mia Couto lança “Sombras da água” em São Paulo

miacouto_sp_30anosv8_web-menor

Depois de passar pelo Rio de Janeiro em um evento que contou com a presença de Maria Bethânia, Mia Couto chega a São Paulo para lançar Sombras da água.

Hoje, dia 28, o escritor moçambicano participa de uma conversa com Julián Fuks, autor de A resistência, e com as cantoras Fabiana Cozza e Lenna Bahule. O evento, que faz parte das comemorações dos 30 anos da Companhia das Letras, começa às 20h no Sesc Vila Mariana. Os ingressos já estão esgotados.

Mas amanhã, 29 de setembro, Mia Couto faz duas sessões de autógrafos de Sombras da água na capital paulista. Às 11h30, ele assina seu novo livro na Livraria Saraiva do Shopping Pátio Higienópolis. Mais tarde, às 19h, a sessão de autógrafos acontece na Livraria da Vila da Alameda Lorena.

Sombras da água dá continuidade à história iniciada em Mulheres de cinzas, romance histórico encenado à época em que o sul de Moçambique era dominado por Ngungunyane, o último grande líder do Estado de Gaza, no fim do século XIX. Alternando as vozes da africana Imani e do sargento português Germano de Melo, Mia Couto apresenta duas visões de mundo muito diferentes, porém profundamente interligadas nesta trama.

O próximo evento de 30 anos da Companhia das Letras acontece no dia 25 de outubro e terá a presença dos autores Ian McEwan, que lança no Brasil o romance Enclausurado, e David Grossman, que acaba de lançar O inferno dos outros. Saiba mais sobre os 30 anos da Companhia das Letras.

5 Comentários

  1. admin disse:

    Olá, Vera!

    Esperamos que você tenha conseguido o seu ingresso. Eles esgotaram em menos de 10 minutos, e caso você não tenha conseguido, a convidamos também para as sessões de autógrafo que acontecem amanhã, dia 29, na Livraria Saraiva do Shopping Pátio Higienópolis e na Livraria da Vila da Alameda Lorena. As informações sobre cada evento estão linkadas aqui no post. :)
    Qualquer dúvida, é só nos procurar aqui no blog ou em nossas redes sociais.

  2. Vera disse:

    Eu vou até o Sesc da Vila Mariana para pegar o ingresso. Acho que tanto a Companhia das Letras quanto o Sesc são suficientemente sérios e não serão desrespeitosos com seu público e leitores. Depois da experiência desastrosa do Rio, quero acreditar que tudo correrá bem em SP. Não imagino estar remanejando meu trabalho, meu tempo gasto para pegar ingresso e assistir o evento sejam frustrados.

  3. admin disse:

    Olá, Marcos!

    A Companhia das Letras lamenta os transtornos ocorridos no encontro entre Mia Couto e Maria Bethânia que aconteceu ontem à noite no Rio de janeiro. A Editora, em comemoração dos seus 30 anos, procurou fazer um espetáculo de alto nível e gratuito para o público, tentando atender ao maior número possível de espectadores. Dos 660 lugares disponíveis na Sala Cecília Meireles, cerca de 400 ingressos foram distribuídos ao público, sendo que as 200 primeiras pessoas poderiam participar da sessão de autógrafos com o autor. Pouco antes do evento começar, mais ingressos foram liberados para aqueles que estavam aguardando. Pedimos desculpas a todos que não puderam participar, e nos esforçaremos para que os próximos eventos transcorram sem problemas para que todos possam participar.

  4. Marcos Faria disse:

    O evento no Rio foi uma esculhambação só. Anunciaram entrada gratuita com distribuição de ingressos mas “esqueceram” de avisar que, dos 600 lugares da sala, 400 já estavam reservados para os convidados da organização. Centenas de pessoas passaram horas de pé na fila acreditando que poderiam entrar e não foram avisadas de que só as 100 primeiras da fila seriam atendidas. Vergonha para a Companhia , a Livraria da Travessa e a Sala Cecília Meireles.

Deixe seu comentário...





*