Notícias

Ian McEwan e David Grossman se encontram em São Paulo

menor

Hoje, dia 25 de outubro, dois dos principais autores da Companhia das Letras participam de um encontro especial que comemora os 30 anos da editora: Ian McEwan e David Grossman. O evento acontece às 20h no Sesc Pinheiros, em São Paulo, e terá presença da cantora Adriana Calcanhotto e dos atores Denise Fraga e Wagner Moura, que farão a leitura de trechos das obras dos autores.

Os ingressos para o evento são gratuitos e serão distribuídos a partir das 14h nas bilheterias da rede Sesc da cidade de São Paulo, limitados a dois por pessoa.

O inglês Ian McEwan, autor de Reparação e Amor sem fim, acaba de lançar seu mais novo romance no Brasil, Enclausurado, narrado por um feto que escuta os planos de sua mãe para, em conluio com seu amante, assassinar o marido. Enclausurado é uma amostra sintética e divertida do impressionante domínio narrativo de um dos maiores escritores da atualidade.

Nascido em Jerusalém em 1954, David Grossman lança no Brasil O inferno dos outros, livro em que um humorista expõe seus dramas mais profundos, convertendo o riso em melancolia. Enquanto faz piadas mais ou menos sagazes, no limite do politicamente correto e do bom gosto, passeando por temas tão amplos quanto o conflito Israel-Palestina e os palavrões proferidos por um papagaio, o comediante provoca o riso da plateia, mas também o desconforto. Um romance corajoso e atual, breve mas avassalador, de um dos maiores ficcionistas contemporâneos. 

Já passaram pelos encontros que comemoram os 30 anos da Companhia das Letras os autores Robert Darnton, Alberto Manguel e Mia Couto, que em sua passagem pelo Brasil conversou com Maria Bethânia e com o jovem escritor Julián Fuks, finalista do Prêmio Jabuti 2016. McEwan e Grossman encerram a comemoração com o público fã das letras.

Anunciados os finalistas do Prêmio Jabuti 2016

jabuti

Na noite desta sexta-feira, dia 21 de outubro, a Câmara Brasileira do Livro anunciou os finalistas do Prêmio Jabuti de 2016. Conheça as obras do Grupo Companhia das Letras indicadas nas categorias romance, conto e crônica, poesia, tradução, capa, ilustração, adaptação, livro infantil, ciências humanas, comunicação, economia, gastronomia, reportagem e documentário, teoria e crítica literária.

Adaptação

— Dois irmãos, de Fábio Moon e Gabriel Bá (Quadrinhos na Cia.)

Capa

— Alceu Chiesorin Nunes pela capa de O gigante enterradode Kazuo Ishiguro (Companhia das Letras)

Ciências humanas

— A capital da vertigemde Roberto Pompeu de Toledo (Editora Objetiva)

— Brasil: uma biografiade Heloisa M. Starling e Lilia Moritz Schwarcz (Companhia das Letras)

— Flores, votos e balas, de Angela Alonso (Companhia das Letras)

Comunicação

— O estado de Narciso, de Eugênio Bucci (Companhia das Letras)

Contos e crônicas

— As mentiras que as mulheres contam, de Luis Fernando Verissimo (Editora Objetiva)

— Jeito de matar lagartas, de Antonio Carlos Viana (Companhia das Letras)

— Rio de Janeiro, de Luiz Eduardo Soares (Companhia das Letras)

Economia, administração, negócios, turismo, hotelaria e lazer

— Devagar e simplesde André Lara Resende (Companhia das Letras)

Gastronomia

— O frango ensopado da minha mãede Nina Horta (Companhia das Letras)

Ilustração

— Dois irmãos, de Fábio Moon e Gabriel Bá (Quadrinhos na Cia.)

— Todo Bob Cuspe, de Angeli (Quadrinhos na Cia.)

Infantil

Inês, de Roger Mello (Companhia das Letrinhas)

— Malala, a menina que queria ir para a escola, de Adriana Carranca (Companhia das Letrinhas)

Poesia

— Agora aqui ninguém precisa de si, de Arnaldo Antunes (Companhia das Letras)

Reportagem e documentário

— A noite do meu bem, de Ruy Castro (Companhia das Letras)

— Bateau Mouche, de Ivan Sant’Anna (Editora Objetiva)

— Política, propina e futebol, de Jamil Chade (Editora Objetiva)

Romance

A resistência, de Julián Fuks (Companhia das Letras)

— Ainda estou aqui, de Marcelo Rubens Paiva (Alfaguara)

— O Grifo de Abdera, de Lourenço Mutarelli (Companhia das Letras)

Teoria/Crítica literária, dicionários e gramáticas

— Cenário com retratos, de Antonio Arnoni Prado (Companhia das Letras)

Tradução

— Guilherme da Silva Braga pela tradução de A ilha da infância, de Karl Ove Knausgård (Companhia das Letras)

— Lawrence Flores Pereira pela tradução de Hamletde William Shakespeare (Penguin-Companhia)

— Paulo Geiger pela tradução de O livro da gramática interiorde David Grossman (Companhia das Letras)

 

Confira a lista com todos os indicados. Os vencedores de cada categoria serão anunciados no dia 11 de novembro.

Maria Bethânia e Mia Couto

No dia 26 de setembro, o Rio de Janeiro recebeu um grande encontro: Maria Bethânia e Mia Couto encantaram o público com a leitura de trechos de Sombras da água, novo livro do autor moçambicano. O encontro fez parte da comemoração dos 30 anos da Companhia das Letras. Assista abaixo ao vídeo completo do evento.

Letras de Dylan, prêmio Nobel, sairão pela Companhia das Letras

getresource

A Companhia das Letras anuncia que adquiriu os direitos do livro de letras de Bob Dylan, ganhador do Nobel de Literatura de 2016. Dylan foi escolhido pela Academia Sueca “por criar novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana”.

O livro The Lyrics 1961-2012, publicado pela Simon & Schuster em 2012 e revisto em 2014, reúne todas as letras do músico americano compostas para seus trinta e três álbuns, apresentando também algumas variações que as letras tiveram em diferentes versões. A edição e a introdução foram feitas por Christopher Ricks, que editou livros de T.S. Eliot, Samuel Beckett e The Oxford Book of English Verse. No Brasil, The Lyrics ganhará uma edição bilíngue e será dividido em dois volumes. O primeiro sai em 2017.

Segundo Luiz Schwarcz, fundador e CEO da Companhia das Letras, publicar o livro de letras de Dylan sempre foi um sonho da editora​: “A​s negociações para a compra dos direitos da obra​ começaram há dois anos, quando nem se imaginava que Bob Dylan poderia​ ser agraciado pelo prêmio Nobel​”, declarou da Feira do Livro de Frankfurt, onde a negociação foi concluída com a The Wylie Agency.

André Conti, que editou Like a rolling stone, de Greil Marcus, uma biografia da canção que originou o título do livro, lançada pela Companhia das Letras em 2010, e que editará o livro de letras, ​comenta a escolha de Bob Dylan pela Academia Sueca: “Em dezenas de discos e centenas de canções, Bob Dylan foi a voz anasalada e maravilhosa de um sem número de gerações. Mesmo assim, foi fiel somente a si: quando virou ídolo folk, passou a usar guitarra elétrica e acabou chamado de traidor. Quando era um dos grandes representantes da contracultura e do movimento pelas liberdades civis, lançou um disco cheio de covers de grandes sucessos do pop e foi destruído pela crítica. Virou cristão renascido e gravou discos de música gospel. Recentemente, lançou um disco de canções natalinas. E assim será, sempre. O Nobel, portanto, é mais que um reconhecimento da canção como forma de arte, um sinal de que o prêmio ficou pop ou outras teorias. É o mínimo que ele merece.”

O Blog da Letrinhas está no ar!

blogdaletrinhasmenor

Agora pais e professores têm uma nova fonte de informação sobre literatura infantil: o Blog da Letrinhas.

No ar desde a última terça-feira, o Blog da Letrinhas é um novo espaço de diálogo com pais, educadores, mediadores e profissionais do livro. Temas como formação de leitores, política e promoção de leitura, bastidores da criação e o exercício de ser criança, entre outros, serão apresentados em diferentes formatos — texto, vídeo e áudio — e seções: Curto-circuito (vídeos com conversas entre autores), Só um minutinho (áudios com releituras de obras), Está no papo (entrevistas), Rascunho (textos sobre processos criativos) e Retrato (biografias de autores contadas a partir de uma fotografia de arquivo pessoal), Caraminholas (artigos de autores e colaboradores da casa). Tudo que não cabe nessas seções entra na Sopa de Letrinhas, uma saborosa miscelânea de assuntos.

Conheça novas leituras com o Blog da Letrinhas!