andressa bezerra

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Andressa Bezerra da Silva

Há quanto tempo trabalha na editora? Trabalhei seis anos como revisora freelancer e agora, há um ano e quatro meses, sou funcionária.

Função: Sou coordenadora de revisão. Trabalho no departamento de produção, tendo o prazer de fazer parte da equipe da Fabi, junto com a Erika, a Pati, o Joelmir e a Olívia. Cuidamos do miolo dos selos Companhia das Letras, Cia. das Letras, Claro Enigma e Penguin-Companhia, administrando o fluxo da produção dos livros (no meu caso, principalmente, as revisões dos lançamentos), entrando em contato com os colaboradores externos e ajudando na liberação de cada prova até a entrega dos arquivos para a gráfica.

Um livro: Retalhos, Craig Thompson

Uma citação ou passagem de livro: “Naquele estado de mais infame humilhação, eu ainda conservava a mais preciosa liberdade, que ninguém jamais poderia me tirar: a liberdade de decidir quem eu queria ser.” — Não há silêncio que não termine, Ingrid Betancourt

Sua parte favorita do trabalho: Ver um arquivo Word ficando com “cara” de livro. Depois, ver alguém no metrô ou no ônibus lendo um livro que passou pelas minhas mãos durante a produção. Também adoro a possibilidade de ler previamente os meus autores preferidos, pois nunca sonhei que teria esse privilégio. É muito gratificante!

Uma história que você se lembre da editora: No fim de 2007 conclui a graduação em Letras. Minha turma queria muito que o prof. Antonio Candido fosse nosso patrono na colação de grau, mas ele recusou o convite, alegando problemas de saúde. Fiquei chateada, porque achei que perderia minha última chance de chegar perto do crítico literário que eu tanto admirava. Poucas semanas depois, dei de cara com o professor na livraria da editora. A querida Ana Laura me convenceu a falar com ele, já que ela sabia da minha admiração. A emoção foi enorme: minha voz não saía! Ele foi um doce comigo (muito fofo!) e meus olhos se encheram de lágrimas enquanto conversávamos. Eu queria uma foto, mas não tinha coragem de pedir. A Renata Abdo se ofereceu pra registrar o momento e até hoje, quando olho pra ela, lembro do mico que paguei. É uma das fotos mais feias que tenho: estou com o rosto vermelho e os olhos marejados. Mas a experiência foi inesquecível, um dos meus dias mais felizes!