mário fernandes

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Mário Donizete Fernandes

Há quanto tempo trabalha na editora? Me lembro como se fosse hoje. Temporário de 1º de novembro de 1989 a março de 1991, registrado desde 1º de abril de 1991. Total geral: 23 anos e 2 meses.

Função: Adoro o que faço, vamos por partes: administro a central de impressões e cópias, tanto o que é feito internamente quanto extermamente, e contabilizo os custos de cada departamento. Também cuido da impressão das provas que produzimos para jornalistas e mídia em geral. Gerencio a compra de materiais de escritório, o suporte técnico dos nossos equipamentos de impressão e a produção dos envelopes e papéis timbrados da editora. Também faço algumas manutenções em geral, tudo com grande prazer.

Um livro: Pode ser três? Bem perto de Leo do Christophe Honoré, Nova York do Will Eisner e Minha vida de goleiro do Luiz.

Uma citação ou passagem de livro:
A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
(“O tempo”, de Mario Quintana)

Sua parte favorita do trabalho: Perfeição, qualidade e agilidade… o agradecimento de um bom serviço nos faz crescer em autoestima.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Entrei como office boy, fui ganhando espaço e mostrando o valor de meu profissionalismo.

Uma história que você se lembre da editora: Quando você trabalha numa editora, ainda mais na Companhia das Letras, cada dia é uma nova história.