neal layton

Semana cento e oitenta e nove

Os lançamentos desta semana são:

 

Tudo o que sou, de Anna Funder (Tradução de Luiz A. de Araújo e Sara Grünhagen)
“Quanto Hitler chegou ao poder, eu estava no banho.” Assim a ex-combatente do regime nazista se recorda do marco zero dos acontecimentos que, após a ascensão do partido em 1933, a levaram a abandonar a Alemanha e seguir como refugiada para a Inglaterra. Mais de setenta anos depois de sua chega a Londres, a memória de Ruth Becker está mais clara do que nunca. Entre a vida e a morte, ela irá reviver seus dias de luta na resistência, relembrar o terror e a paranoia que cercavam os refugiados no exterior e tentar desculpar a si mesma por não ter previsto a traição que vitimaria todos os que faziam parte de seu seleto grupo. Tudo o que sou revisita o tema da perseguição a intelectuais durante os anos 1930 na Alemanha, e acrescenta complexidade dramática à interpretação dos primeiros anos de Hitler no poder, mostrando como seu potencial nefasto não foi percebido a tempo por aqueles que poderiam tê-lo detido.

A máquina de histórias, de Tom McLaughlin (Tradução de Eduardo Brandão)
Hélio encontrou uma máquina. Ela não faz “bip” nem “plim”; não tem botão de “liga/desliga”; nem acende nenhuma luz. A tal da máquina só escreve letras – e Hélio ainda está aprendendo a juntá-las. Mas o que poderia ser uma decepção, se transforma em uma grande descoberta, pois Hélio percebe que as letras podem virar imagens e as imagens, histórias – de reis e rainhas, fantasmas e vampiros, fadas e duendes… Hélio tinha achado uma verdadeira máquina de contar histórias!

A história das estrelas, de Neal Layton (Tradução de Eduardo Brandão)
Todo dia, quando o sol se põe e o céu escurece, aparecem as estrelas. Mas o que são estrelas? E onde elas estão? Neste livro as crianças conhecerão a história da astronomia – desde o tempo em que as pessoas inventavam narrativas para responder às suas indagações, passando pelos gregos, por Galileu, até as viagens espaciais recentes – e descobrirão muitas outras informações sobre planetas, galáxias, cometas e tudo mais que faz parte do universo.

Editora Seguinte

Tormento, de John Boyne (Tradução de Carlos Alberto Bárbaro)
Danny Delaney estava de férias e só queria um verão tranquilo. Mas um dia, quando sua mãe volta para casa escoltada por policiais, ele se dá conta de que alguma coisa horrível aconteceu: uma casualidade que vai mudar a vida de toda a sua família. Narrado pela perspectiva de um garoto de doze anos, Tormento acompanha o drama de Danny e de seus pais, e nos mostra como as coisas sempre podem mudar, mesmo quando a gente menos espera.

Semana dezoito

Os lançamentos desta semana foram:

A história das coisas, de Neal Layton (Engenharia de papel de Corina Fletcher)
Há uma verdade incontestável: nós estamos rodeados de coisas. É só olhar para os lados — coisas, coisas e coisas! Mas nem sempre foi assim. Neal Layton, também autor de A história de tudo, apresenta às crianças o caminho percorrido pela humanidade, que foi aos poucos adquirindo o domínio das coisas e assim produzindo mais e mais delas. Os egípcios, os gregos, os romanos, os chineses e todas as suas invenções são apresentadas em dobraduras, abas e puxadores muito originais.

O delírio, de Machado de Assis (Ilustrações e projeto gráfico de Marilda Castanha)
O delírio é o sétimo capítulo de Memórias póstumas de Brás Cubas, uma viagem vertiginosa e galopante da mente febril do narrador, riquíssima em imagens lúdicas, misturando bichos, homens e objetos. Ilustrada por Marilda Castanha, artista premiada, é uma ótima introdução ao nosso grande escritor. A presente edição, idealizada para os jovens leitores, traz também uma introdução da historiadora Isabel Lustosa.