penguin random house grupo editorial

Companhia das Letras chega a Portugal

PRH_wordmark_brandsystem_MCKL

É com muita alegria que o Grupo Companhia das Letras informa que, em iniciativa conjunta com o Penguin Random House Grupo Editorial, o selo Companhia das Letras será também publicado em Portugal. O primeiro livro a ser lançado no mercado português agora em fevereiro é o romance O irmão alemão, de Chico Buarque, que já teve 100 mil cópias impressas no Brasil.

A criação deste selo leva a Portugal nomes consagrados, clássicos e contemporâneos, da literatura brasileira. Para 2015 estão garantidos, além de Chico Buarque, os clássicos Vinicius de Moraes e Carlos Drummond de Andrade, e nomes como Fernanda Torres, Sérgio Rodrigues e Raphael Montes. No Brasil, a Companhia das Letras passa a intensificar a publicação de autores portugueses. Já neste ano, será publicado o romance A Biografia involuntária dos amantes, de João Tordo, autor vencedor do Prêmio José Saramago.

Em Portugal, a Companhia das Letras será o selo dedicado à publicação de autores de língua portuguesa de todas as nacionalidades, com 12 títulos planejados já para 2015. Assim, os novos romances dos portugueses Afonso Cruz e João Tordo e um livro de textos do angolano Ricardo Adolfo sairão também pelo selo Companhia das Letras.

Markus Dohle, CEO da Penguin Random House, afirmou sobre a iniciativa: “A Companhia das Letras é reconhecida no Brasil e a nível global pelo seu fôlego criativo e qualidade literária. Agora, em parceria com a Penguin Random House, a Companhia das Letras Portugal continuará essa tradição de excelência e assegurará uma audiência ainda maior para autores locais e autores de língua portuguesa de todo o mundo, cujas obras, contemporâneas ou clássicas, serão lidas por um público mais vasto, dos dois lados do Atlântico. Felicitamos o Luiz Schwarcz e a Clara Capitão por este passo adiante para autores e leitores em Portugal e no mundo inteiro.”

John Makinson, chairman da Companhia das Letras, disse: “A criação do selo Companhia das Letras em Portugal é uma extensão natural e desejada da posição preeminente da Companhia no mercado editorial brasileiro. A Companhia não tem par como editora literária no Brasil e nos dá grande satisfação saber que as suas qualidades e relações literárias e a sua marca de prestígio irão enriquecer a comunidade editorial em Portugal. O lançamento desta iniciativa foi planejado em consulta próxima com as empresas-irmãs da Companhia das Letras no âmbito da Penguin Random House: o Penguin Random House Grupo Editorial em Barcelona e a Objetiva no Rio de Janeiro. Isso evidencia a força e o potencial da associação entre a Companhia e a família Penguin Random House em todo o mundo.”

“Estou muito feliz! Esta frase tão simples, com todas as exclamações possíveis, é a que mais me atrai para dizer como me sinto. Viajar com nossos logotipos – entre eles uma caravela, como a que trouxe os portugueses ao Brasil –, cruzar o Atlântico e reproduzir nossa história, agora com a contribuição e liderança da Clara Capitão, me deixam animado ao extremo. A Companhia agora chega a Portugal para mostrar um pouco da sua cara na terra de José Saramago e de tantos escritores que ligaram ainda mais nossos países. E por aqui será um pouco mais portuguesa, com a mesma alegria”, afirma Luiz Schwarcz, fundador da Companhia das Letras.

Núria Cabutí Brull, CEO do Penguin Random House Grupo Editorial, afirmou: “Para o Penguin Random House Grupo Editorial é uma honra poder anunciar a chegada do selo Companhia das Letras aos leitores portugueses. Quero agradecer ao meu colega Luiz Schwarcz o seu entusiasmo, apoio e ajuda para que este projeto se tenha convertido hoje em realidade. Cuidaremos deste grande legado com a máxima atenção e os nossos esforços serão dirigidos a dar a maior difusão possível aos autores e às suas obras e a aumentar a nossa base de leitores em Portugal, mercado em que queremos reforçar a nossa presença”.

Clara Capitão, diretora do Penguin Random House Grupo Editorial em Portugal, declara: “Desde que trabalho no mundo da edição que a Companhia das Letras é uma referência: pelo critério, pelo arrojo, pelo bom gosto. Sobretudo, pelo excelente catálogo brasileiro e internacional que soube construir, sob a direção de Luiz Schwarcz. Poder trabalhar com uma chancela de tal prestígio é um sonho e uma responsabilidade. E também uma oportunidade para autores da língua portuguesa de terem uma casa nos dois lados do Atlântico. Inaugurar a Companhia das Letras em Portugal com a obra de Chico Buarque é abrir com chave de ouro.”