philip roth

Links da semana

Acima você vê o teaser animado feito pelo Estúdio Birdo para a graphic novel Cachalote, de Rafael Coutinho e Daniel Galera. A curiosidade é que quem está tocando piano é ninguém menos que Laerte.

Christopher Hitchens escreveu na Vanity Fair mais um capítulo de sua batalha contra o câncer, e Ricardo Piglia falou ao El País sobre seu novo romance, Blanco nocturno.

O Gabriel, da revista Bula, resenhou 2666, de Roberto Bolaño. Se você gosta de Bolaño, compareça na disputa entre ele e Philip Roth na Livraria da Vila, dia 16.

Surgiram na internet as primeiras imagens de Rooney Mara como Lisbeth Salander, da trilogia Millennium. A escritora Carola Saavedra foi entrevistada para o Cultura News, e o André, do Lendo.org, indica 22 bibliotecas com conteúdo online.

Duas pessoas resenharam O Palácio de Inverno, de John Boyne: a Taize, do Meia Palavra, e a Fanny, do O restaurante do fim do universo.

Os colaboradores do Meia Palavra também deram suas opiniões sobre 1984, de George Orwell. No mesmo site, o Felipe escreveu sobre Paraíso perdido, de Cees Nooteboom, a Dinddi falou de O colecionador de mundos, de Ilija Trojanow, e o Luciano leu Mãos de cavalo, de Daniel Galera.

A NASA criou um Flickr com várias fotos históricas ligadas à agência de exploração espacial, e um grupo de designers tenta imaginar um mundo sem Photoshop.

O Eduardo, do blog Arte faz parte, resenhou Afluentes do rio silencioso, de John Wray. O Jorge, do I’m learning to fly, leu Infância, de J.M. Coetzee, e o Tuca resenhou em seu blog O único final feliz para uma história de amor é um acidente, de João Paulo Cuenca.

A Kelly, no blog da Livraria Cultura, escreveu sobre a dor que emprestar um livro pode trazer. A Livia, do Beco das palavras, falou sobre Retalhos, de Craig Thompson, e o blog da Raquel Cozer, que trabalha no caderno Sabático do Estadão, mudou de endereço.

Para terminar: um vídeo mostra que o escritor de ficção científica Arthur C. Clarke acertou algumas de suas previsões sobre o futuro, e três garotas criaram o Lady’s Comics, um site sobre mulheres nos quadrinhos — seja como personagens, autoras ou desenhistas.

Você gostaria de ter um livro autografado por Philip Roth?

Alguns meses atrás nós fizemos o concurso Bolañomania, premiando as melhores resenhas com sacolas exclusivas do livro 2666. Agora a Companhia promove o Concurso Cultural Philip Roth: escreva um ensaio de até 3 mil toques sobre a obra de Philip Roth e envie-o para nós. Os três melhores ensaios ganharão um prêmio muito especial: um exemplar de Humilhação autografado pelo autor. Além disso, o melhor texto será publicado aqui no blog.

O concurso também acontece em preparação para o primeiro evento da série Encontros Impossíveis: a Companhia das Letras e a Livraria da Vila propõem um debate sobre a vida e a obra de dois dos mais importantes escritores da atualidade: Roberto Bolaño e Philip Roth. O encontro acontecerá na Livraria da Vila da rua Fradique Coutinho, no dia 16 de setembro.

Pessoas de todo o país podem participar do concurso. Confira o regulamento aqui.

Semana sete

Os lançamentos desta semana foram:

O castelo nos Pirineus, de Jostein Gaarder (Tradução de Luiz A. de Araújo)
Por cinco anos intensos na década de 1970, Steinn e Solrunn foram felizes. Então tomaram rumos diversos, por razões desconhecidas a ambos. No verão de 2007, depois de trinta anos distantes, eles se encontram por acaso num lugar intimamente relacionado à separação no passado. Mas terá sido esse encontro, em lugar tão significativo, um mero acaso? Buscando respostas a essa pergunta, e para entender como um relacionamento que prometia ser duradouro pôde acabar subitamente, o ex-casal começa uma frenética troca de e-mails — a matéria e a forma deste romance filosófico. O autor, que também escreveu o best-seller O mundo de Sofia, estará na Bienal do Livro de São Paulo, em agosto.

As viúvas de Eastwick, de John Updike (Tradução de Fernanda Abreu)
O livro narra os reencontro das três conhecidas personagens de As bruxas de Eastwick: Alexandra, a encarnação da força natural feminina, afastada da família e perdendo a vontade de viver; Jane, a violoncelista esnobe e sarcástica, que convive com uma sogra aparentemente imortal; e Sukie, a autora de literatura amorosa, que procura sublimar na ficção o furor carnal que resiste com o passar dos anos. Após os acontecimentos do primeiro livro, elas foram viver em cidades diferentes, e agora, viúvas septuagenárias, reatam a amizade e viajam pelo mundo procurando combater a solidão da velhice.

A Costa Oeste, de Paula Fox (Tradução de Sonia Moreira)
Este romance de uma das mais importantes escritoras norte-americanas contemporâneas expõe os dramas de seus personagens contra um cenário social e político marcado pelo fim da Grande Depressão e pela tensa antevéspera da Segunda Guerra Mundial. Apesar disso, a protagonista da história, a jovem e inexperiente Annie Gianfala, vive na mais completa alienação numa Califórnia intoxicada de vaidades. Cabe a outros personagens a tarefa de iniciá-la nas engrenagens do mundo e nas armadilhas da sexualidade e do amor.

Uma casa para o sr. Biswas, de V. S. Naipaul (Tradução de Paulo Henriques Britto)
Uma casa para o sr. Biswas é inspirado na infância e adolescência do autor indiano, e a maior ambição de seu protagonista é ter sua própria casa. A história desse personagem irremediavelmente deslocado é recheada de divertidas peripécias, sempre girando em torno da eterna busca de um lar e de uma ocupação satisfatória. Em suas aventuras, está sempre às voltas com parentes, vizinhos e amigos intrometidos, que ora o atrapalham ora o ajudam em sua cruzada. Com muito humor, o autor faz a mais sutil e abrangente análise da situação colonial já elaborada em literatura de ficção.

O teatro de Sabbath, de Philip Roth (Tradução de Rubens Figueiredo)
Nova edição do romance que apresenta ao leitor o sexagenário Mickey Sabbath, artista de fantoches aposentado. Entre o sexo e a morte, Sabbath vai resistindo a tudo o que no mundo apaga nossa incandescência. E Phillip Roth, no auge de sua carreira, realiza uma façanha de virtuosismo erótico e dramático. Entre as perguntas que o livro sugere está descobrir até que ponto é possível escrever o sexo. O erótico e o humano se confundem, de modo comovente, neste romance que fala ainda mais quando não há o que falar. Comparada a O teatro de Sabbath, a literatura erótica ainda precisa aprender muita coisa.

Que João é esse? Que Maria é essa?, de Lalau (Ilustrações de Laurabeatriz)
João-deitado e Maria-mole, João-teimoso e Maria-fumaça, João-teneném e Maria-faceira… Vixe, Maria! É João e Maria que não acaba mais. Pensando nessa presença constante das duas palavras entre os nomes que damos aos bichos, plantas, bonecos e até penteados de cabelo, a dupla Lalau e Laurabeatriz criou e ilustrou doze poemas, cada um com uma dupla de personagens. O resultado é um livro que não só ensina poesia para as crianças pequenas como apresenta curiosidades da cultura brasileira, pois, ao final do volume, um glossário explica o que é e de onde vem cada expressão que aparece nos poemas.

Às margens do Amazonas, de Laurence Quentin (Ilustrações de Catherine Reisser; Tradução de Rosa Freire d’Aguiar)
Apesar de pouco povoada, a floresta amazônica é tão extensa que abriga as mais diversas etnias. O livro convida as crianças a conhecer a história, a vida, os costumes e o habitat de três povos amazônicos, de países diferentes: no Brasil, os caboclos; entre o Brasil e a Venezuela, os ianomâmis; e no Equador, os otavalos. Textos explicativos são acompanhados de narrativas ficcionais, sugestões de jogos e atividades culinárias, e ilustrados com desenhos, fotos e mapas da região.

A cicatriz, de Ilan Brenman (Ilustrações de Ionit Zilberman)
Conversando com os pais, Silvinha descobre que seu queixo machucado vai ganhar uma cicatriz para a vida inteira. A novidade deixa a menina tão empolgada que ela resolve investigar as cicatrizes de todos os parentes. A partir disso, Silvinha se põe a pensar sobre a passagem do tempo, sobre as marcas dos acontecimentos na vida das pessoas, e vai conhecer histórias interessantíssimas dos avós, tios, primos e primas.

Semana um

Toda sexta-feira nós colocaremos no blog os livros lançados durante a semana, assim como os eventos literários e culturais que acontecerão na semana seguinte.

Os lançamentos da semana foram:

2666, de Roberto Bolaño (Tradução de Eduardo Brandão)
Maior sucesso latino em escala mundial desde Gabriel García Márquez, Roberto Bolaño consolidou-se na direção contrária de seu predecessor, apresentando um realismo cru, de humor sardônico e pessimista. É nessa chave que se desenrola 2666, composto de cinco romances interligados em um de seus livros mais elogiados e premiados.

Para comemorar o lançamento deste livro, que é um dos mais esperados do ano, elaboramos o Concurso Bolañomania, no qual você concorre a uma sacola comemorativa com um exemplar de 2666.

Henderson, o rei da chuva, de Saul Bellow (Tradução de José Geraldo Couto)
O milionário americano Eugene Henderson, veterano de guerra e descendente de homens ilustres, resolve dar uma virada radical em sua vida, e parte para o coração da África em busca de relações humanas mais autênticas e de um sentido para a existência.

Do fundo do poço se vê a lua, de Joca Reiners Terron
Novo título da Coleção Amores Expressos, este livro conta a história de Wilson e William, gêmeos nascidos em São Paulo nos anos finais da ditadura. Órfãos de mãe e criados pelo pai, ator, os meninos são treinados para atuarem juntos, mas as brincadeiras da infância, porém, revelam que a semelhança dos irmãos é apenas física. William é violento, taciturno e masculino, enquanto Wilson é feminino e dono de inteligência tão sagaz quanto compulsiva.

Assista abaixo ao trailer do livro:

O guardador de segredos, de Davi Arrigucci Jr.
Do autor de O cacto e as ruínas, clássico da interpretação da poesia de Manuel Bandeira, este livro reúne textos recentes sobre poesia, ficção, cinema e crítica, enfatizando nomes fundamentais da literatura brasileira.

Obra completa, de Murilo Rubião
Em formato econômico, os 33 contos de Murilo Rubião, expoente máximo da literatura fantástica brasileira.

Esqueleto na lagoa verde, de Antonio Callado
Em 1925, o oficial britânico Coronel Fawcett tenta localizar um Eldorado no interior do Brasil, mas acaba desaparecendo na selva. Vinte e sete anos depois, o repórter Antonio Callado vai ao Xingu para escrever sobre o sumiço do explorador e produz um dos mais fascinantes relatos jornalísticos já feitos no Brasil.

A humilhação, de Philip Roth (Tradução de Paulo Henriques Britto)
Em seu trigésimo livro, Roth volta ao tema da velhice, da perda e da morte ao narrar os conflitos de um ator em crise com a profissão. Veja uma entrevista do autor com Tina Brown sobre o livro aqui.

Feliz aniversário, de Reginaldo Prandi (Ilustrações de Rodrigo Rosa)
No terceiro romance sobre as aventuras de Paulo e seus quatro filhos, velhos conhecidos dos leitores de Minha querida assombração e Jogo de escolhas, mais histórias dentro de histórias e clima de mistério no ar.

* * * * *

O Blog da Companhia indica os seguintes eventos até a semana que vem:

Bienal do livro de Minas
A feira, que contará com a presença dos autores Moacyr Scliar e Carlos de Brito e Mello, entre outros, termina neste domingo. A Companhia das Letras estará presente no evento, visite nosso estande. http://www.bienaldolivrominas.com.br/
Local: Expominas – Avenida Amazonas, 6.030 – Belo Horizonte, MG

Exposição Andy Warhol, Mr. America
A exposição de pinturas, gravuras e vídeos deste que foi um dos artistas mais influentes da Pop Art também termina este domingo. Mais informações aqui.
Local: Estação Pinacoteca – Largo General Osório, 66 – São Paulo, SP

Mesa redonda: As atuais mudanças e transformações dos quadrinhos no Brasil
Sábado, 22 de maio, às 15h.
O editor da Companhia das Letras André Conti participa da mesa redonda junto com os editores das editoras Panini, Devir e Conrad sobre as recentes e significativas mudanças do mercado de quadrinhos, o crescente aumento de investimento no setor, além da produção de quadrinhos nacionais e a nova safra de autores.
A Casa das Rosas também está promovendo muitos outros eventos, como uma palestra com os quadrinistas gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá e uma exposição durante todo o mês de Maio sobre livros adaptados para histórias em quadrinhos. Clique aqui para ver toda a programação do mês.
Local: Casa das Rosas – Av. Paulista, 37 – São Paulo, SP

Contação de histórias e oficina do livro Histórias à Brasileira 4
Sábado, 22 de maio, às 17h30.
Kiara Terra conta histórias do livro Histórias à Brasileira 4, de Ana Maria Machado, ilustrado por Odilon Moraes.
Local: FNAC Morumbi – Avenida Roque Petroni Júnior, 1089 – São Paulo, SP

Contação de histórias e oficina do livro Zoo Zureta
Domingo, 23 de maio, às 15h.
Márcia Brito conta histórias e faz oficina de dedoches baseada no livro Zoo Zureta, de Fabrício Corsaletti, ilustrado por Ionit Zilbermann.
Local: Saraiva Mega Store – Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3.970 – São Paulo, SP

Seminário Internacional Jorge Amado
Organizado por Lilia Moritz Schwarcz e Ilana Seltzer Goldstein, e com a participação de autores como José Agualusa, o evento abordará temas como a cultura afro-baiana, a mestiçagem, questões de gênero e a política, todos de alguma forma envolvidos na obra do escritor baiano. O Seminário ocorrerá em São Paulo e em Salvador. Veja a programação e completa e inscreva-se aqui.
São Paulo: 24 e 25 de maio.
Local: Anfiteatro da História – FFLCH/USP – Av. Professor Lineu Prestes, 338
Salvador: 27 e 28 de maio.
Local: Anfiteatro da Faculdade de Medicina da Bahia – UFBA – Largo Terreiro de Jesus, s/nº

Série Tertúlia – Encontros de literatura
Segunda-feira, 24 de maio, 21h no SescTV.
O programa traz tradutores falando sobre o desafio de traduzir alguns dos mais prestigiados autores. Nesta segunda-feira, José Rubens Siqueira fala sobre seu trabalho com as obras de J.M. Coetzee. Clique aqui para saber mais.

III Festival da Mantiqueira
Acontece, de 28 a 30 de maio, a 3ª edição do Festival da Mantiqueira, evento que reúne escritores renomados para conversas com o público sobre suas obras e literatura em geral. Estarão presentes no evento os autores Arnaldo Bloch, Carola Saavedra, Fernando Gabeira, José Eduardo Agualusa, Lira Neto e Spacca. Os ingressos são gratuitos e é necessário retirar senha para as mesas, atividades infantis e shows, uma hora antes do início das atividades, na bilheteria do evento, na praça principal.
Para mais informações sobre a programação, clique aqui.
Local: Praça Cônego Antonio Manzi, centro de São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos (138 km de São Paulo e 59 km de São José dos Campos)

Mostra “Cineastas e Imagens do Povo”
Até 6 de junho.
A mostra reúne documentários citados no livro homônimo de Jean-Claude Bernardet, a mais abrangente antologia da história do documentário brasileiro moderno. Além de resgatar a história do nosso cinema, o evento exibe algumas cópias novas, confeccionadas especialmente para a ocasião. A programação também conta com a realização de debates com a presença de realizadores e de um curso ministrado por especialistas, organizado com o apoio da Universidade de São Paulo. O público tem a oportunidade de assistir filmes que falam das grandes questões culturais, políticas e sociais vividas no país nas últimas quatro décadas. A maioria deles se encontrava inacessível às novas gerações até esta merecida homenagem ao trabalho de um dos maiores críticos de cinema ainda em atividade no Brasil.
Veja mais informações e a programação completa aqui.
Local: CCBB – R. Álvares Penteado, 112 – São Paulo, SP

1234