quem é quem

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Fernanda Dias

Há quanto tempo trabalha na editora? Há quase dois anos.

Função: Entrei na editora para ajudar a Clara Dias no departamento de divulgação, mas recentemente me desloquei para o departamento de direitos estrangeiros.

Um livro: Já sabemos que escolher só um não é possível, então: Ilusões pesadas, do Sacha Sperling, Água viva, da Clarice Lispector, e A sangue frio, do Truman Capote.

Uma citação ou passagem de livro:

“É melhor ficar sozinha do que ficar com alguém que não te enxerga como você é. É melhor liderar do que seguir. É melhor falar do que ficar em silêncio. É melhor abrir portas do que fechá-las na cara das pessoas. Ela não será simples e doce. Ela não será o que as pessoas dizem que ela deve ser. Aquela princesinha está morta.” – O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks, de E. Lockhart.

“O sono agora lhe faltava com mais frequência, não uma ou duas vezes por semana, mas quatro, cinco. O que ele fazia quando isso acontecia? Não dava longas caminhadas enquanto se desenrolava o pergaminho da madrugada. Ninguém era tão seu amigo que merecesse ser importunado com um telefonema. Dizer o quê? Era uma questão de silêncios, não de palavras.” – Cosmópolis, de Don DeLillo.

Sua parte favorita do trabalho: Além de participar do processo de “nascimento” dos livros, é incrível passar as horas de trabalho cercada por livros, falando de livros e com gente que também ama livros. Tem esse sentimento de identificação muito forte, não só com o trabalho em si, mas com as pessoas ao redor e com o ambiente. Acho que a mágica é esse sentimento de estar em casa.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Eu sempre soube que tinha que me envolver com literatura de alguma forma, mas jamais achei que acabaria caindo mesmo em uma editora, muito menos na Companhia. Decidi cursar Letras e ver para onde isso me levava e, por um caminho meio inusitado, acabei caindo na assessoria de imprensa e, por fim, bem onde eu queria – nos livros.

Uma história que você se lembre da editora: Fazia só alguns meses que eu estava na editora e era a época em que o Mia Couto (muso para qualquer aluno/a de Letras) estava aqui em São Paulo. Eu, que já havia me declarado admiradora dele para as meninas do departamento de divulgação, fui incumbida de acompanhá-lo em parte de sua passagem aqui. Fui com ele em algumas palestras, fiquei lá na sessão de autógrafos na loja da editora e acompanhei-o em um almoço. No final das contas, ele foi super fofo comigo e me agradeceu muito por tê-lo ajudado enquanto estava por aqui. Só consegui responder com um “pô, eu que te agradeço, Mia”.

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Mariana Viriato de Freitas Vale, a Mari Viriato.

Há quanto tempo trabalha na editora? Meu primeiro trabalho para a Companhia foi na Bienal do Livro em agosto de 2012, então mesmo tendo trabalhado em diferentes departamentos e cargos como frila, considero que trabalho aqui desde então. Vesti a camisa vermelha do centenário do Jorge Amado e sigo com ela.

Função: Trabalho no departamento de marketing dando assistência à Carol Daflon e à Ju Vettore na idealização e produção dos materiais de ponto de venda, brindes, vitrinismo e ações nas livrarias. Além disso, cuidamos dos eventos e aulas para livreiros e acompanho parcerias para os filmes que são lançados baseados em livros nossos.

Um livro: Vermelho amargo – Bartolomeu Campos de Queirós. É um livro todo bonito que, entre tantos que me marcaram, me marcou ainda mais.

Uma citação ou passagem de livro: “Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar” José Saramago, em O conto da ilha desconhecida.

Sua parte favorita do trabalho: O aprendizado diário que os livros e o convívio com as pessoas que colaboram para concebê-lo me trazem. Gosto muito do contato com os livreiros também porque já estive lá e sei como é árduo e ao mesmo tempo surpreendente o dia a dia na livraria e o quanto merecem valor e atenção. Os retornos e respostas de leitores genuinamente encantados com as histórias dos livros também me deixa muito contente e satisfeita.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Minha mãe foi bibliotecária durante muitos e muitos anos e, a partir disso, Freud explica. Até porque minha formação é em psicologia, mas a vida vai te levando para caminhos dos mais inesperados, e isso pode ser incrivelmente bom.

Uma história que você se lembre da editora: Meu primeiro dia treinando com a Nalva e a Carol como promotora foi uma aula para livreiros com o Mário Magalhães sobre o Marighella, aqui na editora. Estava demais de ansiosa e no fim deu tudo certo, o evento foi ótimo e assim que terminou subimos para guardar as coisas. Chegando no andar do marketing vejo uma cara conhecida comendo um pedaço bolo, que provavelmente sobrou de algum aniversariante do dia. Era o Mia Couto comendo um bolinho. Minha ficha demorou um bom tempo para cair e até hoje me encanto com essas coisas. O jeito é disfarçar bem.

 

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Bruno Quintal

Há quanto tempo trabalha na editora? 7 meses e meio.

Função: Sou auxiliar de planejamento. Cuido da programação dos lançamentos e reimpressões, inserções e emendas das informações dos livros no sistema interno e também auxilio o Miguel Gama nas viabilidades e custos de produção dos livros.

Um livro: E não sobrou nenhum, da Agatha Christie. Como sou fanático por romance policial, precisava eleger um da Rainha do Crime.

Uma citação ou passagem de livro: “Que é o amor? Não há nada no mundo, nem homem nem diabo, nem coisa alguma, que eu considere tão suspeito como o amor, que este penetra na alma mais que qualquer outra coisa. Não existe nada que tanto ocupe e ligue o coração como o amor. Por isso, a menos que tenha as armas que a governam, a alma precipita-se por amor numa imensa ruína”. O nome da rosaUmberto Eco.

Sua parte favorita do trabalho: Por ser fanático por livros, creio que poder ver de perto toda a produção do livro, aprender termos e coisas novas sobre eles. Saber quais são os novos livros que serão lançados, ser um dos primeiros a ver ele pronto e também a interação com todos os departamentos.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Sou formado em administração e tenho experiência na área financeira, então aproveitei a oportunidade de fazer o que sei aliado ao que gosto.

Uma história que você se lembre da editora: No meu primeiro dia na empresa o departamento de produção estava organizando uma “festinha junina”, então eu posso dizer que fui muito bem recebido, além de sempre dizer que a festa foi feita para mim…

 

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Beatriz Castro

Há quanto tempo trabalha na editora? Há um ano, iniciei em janeiro de 2013.

Função: Em resumo, trabalho com a apuração de direitos autorais, tanto nacionais quanto estrangeiros, junto com a Claudilene. De acordo com as vendas, verificamos quanto cada autor irá receber pelo seu livro. Acompanhamos os lançamentos de todos os livros e e-books, entre outras atividades.

Um livro: O Garoto no Convés, no John Boyne.

Uma citação ou passagem de livro: “Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.” – O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry.

Sua parte favorita do trabalho: Estar atualizada diariamente de todos os livros que serão lançados e trabalhar ao lado de pessoas que eu gosto.

 

Quem é quem na Companhia das Letras

Nome: Igor Andrade Alves

Há quanto tempo trabalha na editora? Apenas 4 meses e meio.

Função: Sou menor aprendiz. Faço gestão de atendimento de serviço, fico na área da contabilidade. Presto serviço para os contadores e para os fiscais e faço todo mês o fechamento de arquivos.

Um livro: Bem injusto falar apenas um livro, pois os livros da Companhia são ótimos, mas os que eu realmente gostei foram Os 500, de Matthew Quirk, O menino do pijama listrado, do John Boyne e O escolhido foi você, da Miranda July.

Uma citação ou passagem de livro: No livro Os 500, uma passagem que eu gostei foi a da sobrecapa, que diz: “Qual é o seu preço? Um milhão, um bilhão de dólares? Casas, carros, mulheres? Estar entre os 500 homens mais poderosos do mundo? Todo homem tem um preço. E, uma vez que você descobre qual é, você se torna dono dele, de seu corpo e de sua alma”.

Sua parte favorita do trabalho: Não existe uma parte favorita no trabalho, a nossa vida é montada por nós e nosso trabalho só tem seus lados ótimos se decidirmos fazer o nosso melhor, então tudo para mim aqui na empresa é muito bom.

Por que você decidiu seguir essa carreira? Ainda não estou seguindo uma carreira exatamente, mas certamente se continuar na empresa provavelmente entrarei na área de contabilidade por um simples motivo: gosto de coisas transparentes, e se pararmos para pensar a contabilidade está sempre ali mas não é tão visualizada. Querendo ou não, é muito importante .