reginaldo prandi

Semana sessenta e cinco

Os lançamentos da semana são:

Jake Cake e a merendeira robô, de Michael Broad (Tradução de Antônio Xerxenesky)
Este é mais um livro todo feito por Jake Cake. Sempre metido em alguma confusão, o menino gosta de contar suas aventuras num diário ilustrado por ele. E as ilustrações são de arrepiar! É que Jake sempre depara com coisas muito estranhas. Desta vez, ele descobre que a mulher que trabalha no refeitório da escola é, na verdade, um robô maluco por repolho; encara uma invasão de duendes no jardim de sua casa; e quase vira presa de uma bruxa que finge ser uma senhora adorável, dona de uma loja de doces. Com tanta maluquice acontecendo, fica realmente difícil acreditar no que ele diz. Mas ele jura que é tudo verdade!

A letra escarlate, de Nathaniel Hawthorme (Tradução de Christian Schwartz)
Na rígida comunidade puritana de Boston do século XVII, a jovem Hester Prynne tem uma relação adúltera que termina com o nascimento de uma criança ilegítima. Desonrada e renegada publicamente, ela é obrigada a levar sempre a letra “A” de adúltera bordada em seu peito. Hester, primeira autêntica heroína da literatura norte-americana, se vale de sua força interior e de sua convicção de espírito para criar a filha sozinha, lidar com a volta do marido e proteger o segredo acerca da identidade de seu amante. Aclamado desde seu lançamento como um clássico, A letra escarlate é um retrato dramático e comovente da submissão e da resistência às normas sociais, da paixão e da fragilidade humanas, e uma das obras-primas da literatura mundial. Esta edição tem posfácio de Nina Baym, professora de inglês do Centro de Estudos Avançados e professora emérita de artes e ciências humanas na Universidade de Illinois.

Lembranças de 1848: as jornadas revolucionárias em Paris, de Alexis de Tocqueville (Tradução de Modesto Florenzano)
Quase 60 anos depois da eclosão da Revolução Francesa, os cidadãos de Paris voltaram a insurgir-se contra a monarquia. Em fevereiro de 1848, com a conflagração da cidade, o rei Luís Filipe foi obrigado a abdicar e refugiar-se na Inglaterra. Antes de seu triunfo definitivo, a reação conservadora que se seguiu à instauração do governo provisório foi desafiada durante quatro sangrentos dias de junho pela primeira revolução socialista moderna. Nestas Lembranças de 1848, Alexis de Tocqueville reconstitui as experiências vividas no centro nevrálgico da política francesa, simultaneamente como ator e testemunha dos acontecimentos. Esta edição traz introdução, notas e consultoria do filósofo e professor Renato Janine Ribeiro e prefácio de Fernand Braudel, um dos maiores historiadores do século XX.

Contos e lendas da Amazônia, de Reginaldo Prandi (Ilustrações de Pedro Rafael)
A Amazônia é tão grande em tamanho, tão rica em variedade de espécies, quanto em histórias nascidas nas mais diferentes culturais. Em pequenas aldeias à beira dos rios, e até nas cidades, surgiram narrativas e mais narrativas, que, de boca em boca, extravasaram os limites dos grupos em que foram criadas e se tornaram parte da cultura nacional brasileira. São histórias sobre pessoas, bichos, plantas, rios, estrelas, em que tudo se explica por meio de algum encantamento, e que nos mostram um pouco do universo inegotável da mitologia amazônica.

O homem frondoso e outras histórias da África, de Claude Blum (Ilustrações de Grégoire Vallancien; Tradução de Hildegard Feist)
Na África, a tradição dos contadores de história é muito forte. Com ritmo próprio, eles encantam crianças e adultos com suas narrativas cheias de sabedoria. Esta coletânea traz 22 contos africanos, entre eles o que dá título ao livro: após a morte do pai, o jovem Daúda constrói uma cabana distante da aldeia para sua irmã mais nova, a bela Aissata, pois teme que ela seja raptada pelo rei. Só que os encantos da moça acabam chegando aos ouvidos do soberano, que envia um verdadeiro exército para raptá-la. Daúda acaba com todos, um por um, até que uma velha feiticeira engana o corajoso irmão, fazendo com que Aissata seja levada. Cheio de raiva, e decidido a nunca mais encontrar ninguém, Daúda se isola na floresta. Arbustos e ervas brotam de sua cabeça, e ele se torna um homem frondoso.

O cobertor de Jane, de Arthur Miller (Ilustrações de Elisabeth Teixeira e Al Parker; Tradução de José Rubens Siqueira)
Jane adorava o seu cobertor. Era cor-de-rosa, macio e quentinho. Ainda bebê, ela ficava enrolada nele, bem quieta. E, se alguém o levasse embora, armava o maior berreiro. Mesmo quanto cresceu um pouco e começou a fazer uma porção de coisas que antes não conseguia, continuou continuou carregando seu cobertor por toda parte. Os dois eram inseparáveis. Mas o tempo passa e Jane vai ficando cada vez maior, e seu cobertor, cada vez menor. Até que chega a hora em que, se quiser deixar de ser criança, vai ter que abandoná-lo. Neste clássico da literatura infantil, Arthur Miller, um dos maiores dramaturgos do século XX, conta uma doce história sobre crescer e abandonar as coisas que amamos, com a qual toda criança e adulto pode se identificar. Edição bilíngue.

Semana um

Toda sexta-feira nós colocaremos no blog os livros lançados durante a semana, assim como os eventos literários e culturais que acontecerão na semana seguinte.

Os lançamentos da semana foram:

2666, de Roberto Bolaño (Tradução de Eduardo Brandão)
Maior sucesso latino em escala mundial desde Gabriel García Márquez, Roberto Bolaño consolidou-se na direção contrária de seu predecessor, apresentando um realismo cru, de humor sardônico e pessimista. É nessa chave que se desenrola 2666, composto de cinco romances interligados em um de seus livros mais elogiados e premiados.

Para comemorar o lançamento deste livro, que é um dos mais esperados do ano, elaboramos o Concurso Bolañomania, no qual você concorre a uma sacola comemorativa com um exemplar de 2666.

Henderson, o rei da chuva, de Saul Bellow (Tradução de José Geraldo Couto)
O milionário americano Eugene Henderson, veterano de guerra e descendente de homens ilustres, resolve dar uma virada radical em sua vida, e parte para o coração da África em busca de relações humanas mais autênticas e de um sentido para a existência.

Do fundo do poço se vê a lua, de Joca Reiners Terron
Novo título da Coleção Amores Expressos, este livro conta a história de Wilson e William, gêmeos nascidos em São Paulo nos anos finais da ditadura. Órfãos de mãe e criados pelo pai, ator, os meninos são treinados para atuarem juntos, mas as brincadeiras da infância, porém, revelam que a semelhança dos irmãos é apenas física. William é violento, taciturno e masculino, enquanto Wilson é feminino e dono de inteligência tão sagaz quanto compulsiva.

Assista abaixo ao trailer do livro:

O guardador de segredos, de Davi Arrigucci Jr.
Do autor de O cacto e as ruínas, clássico da interpretação da poesia de Manuel Bandeira, este livro reúne textos recentes sobre poesia, ficção, cinema e crítica, enfatizando nomes fundamentais da literatura brasileira.

Obra completa, de Murilo Rubião
Em formato econômico, os 33 contos de Murilo Rubião, expoente máximo da literatura fantástica brasileira.

Esqueleto na lagoa verde, de Antonio Callado
Em 1925, o oficial britânico Coronel Fawcett tenta localizar um Eldorado no interior do Brasil, mas acaba desaparecendo na selva. Vinte e sete anos depois, o repórter Antonio Callado vai ao Xingu para escrever sobre o sumiço do explorador e produz um dos mais fascinantes relatos jornalísticos já feitos no Brasil.

A humilhação, de Philip Roth (Tradução de Paulo Henriques Britto)
Em seu trigésimo livro, Roth volta ao tema da velhice, da perda e da morte ao narrar os conflitos de um ator em crise com a profissão. Veja uma entrevista do autor com Tina Brown sobre o livro aqui.

Feliz aniversário, de Reginaldo Prandi (Ilustrações de Rodrigo Rosa)
No terceiro romance sobre as aventuras de Paulo e seus quatro filhos, velhos conhecidos dos leitores de Minha querida assombração e Jogo de escolhas, mais histórias dentro de histórias e clima de mistério no ar.

* * * * *

O Blog da Companhia indica os seguintes eventos até a semana que vem:

Bienal do livro de Minas
A feira, que contará com a presença dos autores Moacyr Scliar e Carlos de Brito e Mello, entre outros, termina neste domingo. A Companhia das Letras estará presente no evento, visite nosso estande. http://www.bienaldolivrominas.com.br/
Local: Expominas – Avenida Amazonas, 6.030 – Belo Horizonte, MG

Exposição Andy Warhol, Mr. America
A exposição de pinturas, gravuras e vídeos deste que foi um dos artistas mais influentes da Pop Art também termina este domingo. Mais informações aqui.
Local: Estação Pinacoteca – Largo General Osório, 66 – São Paulo, SP

Mesa redonda: As atuais mudanças e transformações dos quadrinhos no Brasil
Sábado, 22 de maio, às 15h.
O editor da Companhia das Letras André Conti participa da mesa redonda junto com os editores das editoras Panini, Devir e Conrad sobre as recentes e significativas mudanças do mercado de quadrinhos, o crescente aumento de investimento no setor, além da produção de quadrinhos nacionais e a nova safra de autores.
A Casa das Rosas também está promovendo muitos outros eventos, como uma palestra com os quadrinistas gêmeos Fábio Moon e Gabriel Bá e uma exposição durante todo o mês de Maio sobre livros adaptados para histórias em quadrinhos. Clique aqui para ver toda a programação do mês.
Local: Casa das Rosas – Av. Paulista, 37 – São Paulo, SP

Contação de histórias e oficina do livro Histórias à Brasileira 4
Sábado, 22 de maio, às 17h30.
Kiara Terra conta histórias do livro Histórias à Brasileira 4, de Ana Maria Machado, ilustrado por Odilon Moraes.
Local: FNAC Morumbi – Avenida Roque Petroni Júnior, 1089 – São Paulo, SP

Contação de histórias e oficina do livro Zoo Zureta
Domingo, 23 de maio, às 15h.
Márcia Brito conta histórias e faz oficina de dedoches baseada no livro Zoo Zureta, de Fabrício Corsaletti, ilustrado por Ionit Zilbermann.
Local: Saraiva Mega Store – Shopping Eldorado – Av. Rebouças, 3.970 – São Paulo, SP

Seminário Internacional Jorge Amado
Organizado por Lilia Moritz Schwarcz e Ilana Seltzer Goldstein, e com a participação de autores como José Agualusa, o evento abordará temas como a cultura afro-baiana, a mestiçagem, questões de gênero e a política, todos de alguma forma envolvidos na obra do escritor baiano. O Seminário ocorrerá em São Paulo e em Salvador. Veja a programação e completa e inscreva-se aqui.
São Paulo: 24 e 25 de maio.
Local: Anfiteatro da História – FFLCH/USP – Av. Professor Lineu Prestes, 338
Salvador: 27 e 28 de maio.
Local: Anfiteatro da Faculdade de Medicina da Bahia – UFBA – Largo Terreiro de Jesus, s/nº

Série Tertúlia – Encontros de literatura
Segunda-feira, 24 de maio, 21h no SescTV.
O programa traz tradutores falando sobre o desafio de traduzir alguns dos mais prestigiados autores. Nesta segunda-feira, José Rubens Siqueira fala sobre seu trabalho com as obras de J.M. Coetzee. Clique aqui para saber mais.

III Festival da Mantiqueira
Acontece, de 28 a 30 de maio, a 3ª edição do Festival da Mantiqueira, evento que reúne escritores renomados para conversas com o público sobre suas obras e literatura em geral. Estarão presentes no evento os autores Arnaldo Bloch, Carola Saavedra, Fernando Gabeira, José Eduardo Agualusa, Lira Neto e Spacca. Os ingressos são gratuitos e é necessário retirar senha para as mesas, atividades infantis e shows, uma hora antes do início das atividades, na bilheteria do evento, na praça principal.
Para mais informações sobre a programação, clique aqui.
Local: Praça Cônego Antonio Manzi, centro de São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos (138 km de São Paulo e 59 km de São José dos Campos)

Mostra “Cineastas e Imagens do Povo”
Até 6 de junho.
A mostra reúne documentários citados no livro homônimo de Jean-Claude Bernardet, a mais abrangente antologia da história do documentário brasileiro moderno. Além de resgatar a história do nosso cinema, o evento exibe algumas cópias novas, confeccionadas especialmente para a ocasião. A programação também conta com a realização de debates com a presença de realizadores e de um curso ministrado por especialistas, organizado com o apoio da Universidade de São Paulo. O público tem a oportunidade de assistir filmes que falam das grandes questões culturais, políticas e sociais vividas no país nas últimas quatro décadas. A maioria deles se encontrava inacessível às novas gerações até esta merecida homenagem ao trabalho de um dos maiores críticos de cinema ainda em atividade no Brasil.
Veja mais informações e a programação completa aqui.
Local: CCBB – R. Álvares Penteado, 112 – São Paulo, SP