vinicius campos

Semana cento e três

Os lançamentos da semana são:

Editora Companhia das Letras

A quinta mulher, Henning Mankell (Tradução de Luciano Vieira Machado)
Quatro freiras e uma quinta mulher, que viaja pela África, são mortas durante a noite em um ataque brutal. Meses depois, na Suécia, a notícia dessa tragédia inesperada motiva uma vingança cruel. O inspetor Kurt Wallander acaba de voltar de férias idílicas em Roma, cheio de energia e planos para o futuro, torcendo por dias tranquilos. Ao investigar o desaparecimento de um observador de aves, contudo, descobre um assassinato meticuloso e terrível: Um corpo empalado em uma armadilha feita de varas afiadas de bambu. Um segundo homem desaparece, e mais uma vez Wallander e seu time trabalham incansavelmente para encontrar o elo entre os assassinatos perversos. Numa investigação intensa, o inspetor luta para descobrir quem é esse serial killer cujos crimes são produto de uma nova Suécia, marcada pela violência – realidade que o deixa desolado.

As entrevistas da Paris Review – vol. 2, vários autores (Tradução de George Schlesinger)
Neste segundo volume das antológicas entrevistas da revista literária norte-americana Paris Review, treze escritores dos séculos XX e XXI compartilham com os leitores momentos saborosos de sua intimidade criativa enquanto explicam seus métodos de trabalho, discutem suas influências literárias e rememoram passagens decisivas de suas biografias. Nestas páginas estimulantes e reveladoras, hábeis entrevistadores conversam com autores não raro avessos à exposição pública.

Gabriela, cravo e canela, Jorge Amado
Escrito em 1958, Gabriela, cravo e canela se tornou ao longo das décadas seguintes um dos romances de Jorge Amado de maior sucesso em todo o mundo. A história do caso de amor entre o sírio Nacib e a mulata Gabriela – um dos personagens femininos mais sedutores da literatura brasileira – é também uma bela crônica do período áureo do cacau na região de Ilhéus. Sensual e inocente, sábia e pueril, a cozinheira Gabriela conquistou não apenas o coração de Nacib, mas também os leitores de vários países e gerações. Com posfácio de José Paulo Paes.

O amor nos tempos do blog, Vinicius Campos
O que você faria se estivesse perdidamente apaixonado e sem coragem de se declarar à pessoa amada? Ariza, um garoto de treze anos, decidiu escrever um blog. Tudo começou quando ele foi à biblioteca devolver um livro e deu de cara com uma linda garota. Ela sorriu para ele, e isso bastou para que Ariza se encantasse. Assim, de encontros e desencontros, e de blog em blog, esta trama vai sendo construída – como se constroem muitas das histórias de amor hoje em dia. O autor, Vinicius Campos, também criou um blog sobre o livro.

Editora Paralela

O livro de Julieta, Cristina Sánchez-Andrade (Tradução de Rodrigo Peixoto)
Um biquíni novo da Hello Kitty, um passeio de mãos dadas com os irmãos, uma piscina de bolinhas, a chuva, a rotina… Para Julieta, a felicidade é isso. Já para sua mãe, a jornalista espanhola Cristina Sánchez-Andrade, a felicidade é algo um pouco mais complicado, principalmente depois que sua filha foi diagnosticada com síndrome de Down. Numa sucessão de memórias, bilhetes, cartas, diálogos, sonhos e impressões, este livro narra a história real de Cristina e sua filha. É uma história de atividades, de trabalho, de constância, de cobrança, de médicos. Mas é também uma história de amor, de carinho, de brincadeiras, de beijos e de cócegas. É a história de uma criança especial, mas é também a história do cotidiano de uma família, em que desponta uma protagonista cativante. Ao mesmo tempo grave e divertido, leve e profundo, doce e mordaz, O livro de Julieta é, acima de tudo, a tentativa de uma mãe de atravessar a distância que a separa de sua filha e adentrar seu território, enxergando-a exatamente como ela é.